A subida do futebol feminino nos pés de Michael Jackson e Pretinha

A CBF convidou as ex-jogadoras da seleção para participar do Conselho de Craques, que foi anunciado na terça-feira

A subida do futebol feminino nos pés de Michael Jackson e Pretinha

Blogs,Futebol por Elas

Duas estrelas do futebol feminino brasileiro saíram de campo, mas não abandonaram o esporte. A CBF convidou Michael Jackson e Pretinha, ex-jogadoras da seleção, para participar do Conselho de Craques, que foi anunciado na terça-feira 9.

As duas presenças femininas do conselho vivenciaram os primeiros passos do futebol feminino no Brasil. Marileia dos Santos nasceu em 1963, nesta época ainda era um crime uma mulher jogar bola. Mas em 1983, quando o futebol feminino foi de fato legalizado, a jovem menina de 20 anos conseguiu enxergar que seu sonho poderia se tornar realidade.

Nesta mesma época, o narrador Luciano do Valle se encantou com talento de Marileia e disse que ela seria a grande jogadora do futuro comparando-a a Michael Jackson, o Rei do Pop, que estava no auge de sua carreira. Desde então Marileia tornou-se Michael Jackson e entrou para a história.

Michael Jackson participou da primeira Copa do Mundo de Futebol Feminino, em 1991, e do Mundial na Suécia, em 1995. É dona da impressionante marca de 1.574 gols na carreira. Em 2016, continuou a lutar pelo futebol feminino fora dos gramados, como coordenadora-geral de futebol do Ministério do Esporte.

Pretinha nasceu 12 anos depois de Michael Jackson. Com os caminhos um pouco mais abertos, conseguiu sonhar desde pequena em ser uma jogadora profissional de futebol. A história dela e a da seleção brasileira se cruzaram muito cedo e começaram a se tornar uma só. Com apenas 16 anos, em 1991, Pretinha foi convocada para participar do Mundial da China. Depois disso marcou presença em mais três copas do mundo (1995, 2003 e 2007).

Também participou das Olimpíadas de 1996, 2000, 2004 e 2008. Trouxe para o país duas medalhas de prata: uma de Atenas, 2004, e uma de Pequim, 2008. E não se pode esquecer do ouro do Pan-Americano, 2007. Sem contar que foi a primeira brasileira a marcar em três copas diferentes, em 1995, 1999 e 2007.

Michael Jackson e Pretinha vão garantir que o futebol feminino receba investimentos e as futuras gerações não precisem enfrentar o árduo caminho que tiveram que passar.

O Conselho de Craques

A ideia do conselho é que os participantes façam reuniões recorrentes para discutir projetos que incentivem o desenvolvimento de uma das maiores paixões do brasileiro, o futebol.

As pautas discutidas não serão focadas apenas no futebol de campo masculino. Também receberão apoio o futebol feminino, categorias de base de ambos os sexos, futebol de praia e de salão. O projeto visa desenvolver o esporte como um todo, dando atenção desde à infraestrutura ao lado social importantíssimo do futebol aqui no Brasil.

Além de propor melhorias técnicas e estruturais dentro do esporte, serão debatidas mudanças e aperfeiçoamentos de calendário das competições, projetos sociais de desenvolvimento do futebol, inovações tecnológicas, questões de saúde e doping dos atletas, questões relacionadas ao vínculo entre clubes e jogadores e iniciativas voltadas ao fair play entre todos os agentes que fazem o futebol acontecer.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem