Augusto Diniz | Música brasileira

Jornalista há 25 anos, Augusto Diniz foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Augusto Diniz | Música brasileira

Os projetos musicais de Roberta Campos com a geração que ela ouviu na pré-adolescência

Com George Israel, ex-Kid Abelha, a cantora lança um álbum em 30 de maio: ‘tenho uma boa relação com minhas referências’

Foto: Divulgação
Apoie Siga-nos no

Kiko Zambianchi, Humberto Gessinger, Guilherme Arantes e Beto Guedes são alguns dos nomes que fizeram sucesso nos anos 1980. E a cantora e compositora mineira Roberta Campos realizou projetos ligados a eles, seja com singles ou apresentações conjuntas.

O cantor, compositor e saxofonista George Israel, ex-Kid Abelha e que em 2004 iniciou uma carreira solo, é outro da geração 80 que entrou no convívio de Roberta Campos. Eles, inclusive, lançarão um álbum em duo em 30 de maio.

“Sou fã do Kid Abelha desde a minha pré-adolescência. E sempre soube que ele era compositor, porque gostava de acompanhar os encartes do disco. Daí, no ano passado, tive a ideia de a gente fazer algumas canções, para ver se fluía”, relatou Roberta a CartaCapital. “Fluiu super bem. Quando a gente viu, já estava com quatro músicas compostas e surgiu a ideia de lançar um EP.”

O EP, recém-lançado, se chama Lado A – parte das músicas será incorporada ao álbum a ser divulgado no fim deste mês. O disco terá cinco músicas de autoria de Roberta Campos e George Israel, uma releitura da canção Na Sombra de uma Árvore, de Hyldon, uma de George com Leoni e outra dele com Alvin L.

Os arranjos e a produção ficaram a cargo de George Israel, de seu filho Léo Israel e do experiente Pedro Sá.

“É dos anos 1980 a maioria do pessoal com que andei circulando. Gosto de me juntar”, diz Roberta. “Fiz agora uma parceria musical com Fagner e com Renato Teixeira, que já são de gerações anteriores, além do próprio Hyldon, com quem eu tenho canção gravada no disco O Amor Liberta (2021).”

“Tenho uma boa relação com essas pessoas, que são minhas referências. São influências que tive na minha música. Faz todo o sentido, porque são coisas que eu ouvia. Tenho sorte de eles me acolherem.”

A cantora e compositora também prepara seu sétimo disco autoral e, em setembro, deve entrar em estúdio para gravar o trabalho novo.

O projeto com George Israel tem o nome de Quatro Mãos. Em 16 de maio, aniversário de George, eles tocarão juntos no Clube Manuche, no Rio de Janeiro. Não faltarão sucessos da cantora, como De Janeiro a Janeiro, Abrigo e Minha Felicidade.

Assista à entrevista de Roberta Campos a CartaCapital:

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo