Ministério de Damares elabora política pública baseada em abstinência sexual

Ministra afirmou que está em diálogo com o ministro da educação Abraham Weintraub para tratar dos benefícios da iniciação sexual tardia

Ministério de Damares elabora política pública baseada em abstinência sexual

Política

O  Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH) divulgou uma nota nesta sexta-feira 10 afirmando que está em formulação a política pública com abordagem sobre os benefícios da iniciação sexual tardia por adolescentes como estratégia de prevenção primária à gravidez na adolescência. A pasta afirma que ainda não é possível apresentá-la em detalhes para a sociedade, nem prever custos e as ações previstas.

No texto, o Ministério afirma que o programa não irá se contrapor às políticas de estímulo ao uso de preservativos e outros métodos contraceptivos, será complementar. Também aponta que a proposta se dá com base em estudos científicos que apontam resultados exitosos dessa alternativa de iniciação sexual em idade tardia. No entanto, apenas uma referência é citada, um estudo do pesquisador Marlon Derosa, a partir de uma experiência com garotas do Ensino Médio, no Chile.

Derosa narra que analisou a vida de mil garotas por quatro anos após terem participado de programas de educação sexual, meninas que tinham passado por programas de educação sexual com a abordagem comum, onde se faz a apresentação de alternativas de métodos de contracepção artificial e preservativo (vamos chamar “baseado em contracepção”); e jovens que receberam a chamada “educação afetiva”, onde são ensinados valores e características inerentes à essa fase da vida, as consequências inerentes ao ato sexual (possibilidade de gravidez), a importância dos relacionamentos afetivos e emocionais saudáveis, etc.

A taxa de gravidez na adolescência verificada entre o grupo de jovens que receberam a orientação sexual “baseada em contracepção” foi de 5 em cada 100 jovens, enquanto as jovens que passaram pelo “programa de abstinência”, baseado na responsabilidade, foi de apenas 1 para cada 100 jovens. Ou seja, 4 vezes menos gestações precoces, apresenta o estudo.

Defensora da abstinência sexual como método de preservação sexual, a ministra Damares Alves afirmou que o assunto está na pauta que vem sendo tratada em conjunto com o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem