Você está aqui: Página Inicial / Tecnologia / Foursquare: mayor das redes sociais?

Tecnologia

Localização

Foursquare: mayor das redes sociais?

por Elizangela Grigoletti — publicado 02/10/2011 18h15, última modificação 02/10/2011 18h16
10 milhões de usuários, 500 mil empresas, 169 países, 354 milhões de check-ins fora dos Estados Unidos, e uma plataforma dinâmica que estimula o consumo e a interação com o meio urbano.

A rede social de geolocalização, em 2010, cresceu 3.400%, com isso está encontrando espaço nas estratégias de comunicação das empresas brasileiras. Isso porque mais do que simplesmente uma mídia social, o Foursquare também está sendo visto como um local virtual em que é possível avaliar o comportamento dos usuários em relação ao mercado.

Quando foi lançada em março de 2009, muitos 'heavy users' de mídias sociais ficaram com receio em relação a essa plataforma que 'denunciava' e criava um roteiro das localizações em que cada um esteve ou estava. Por compartilhar todas essas informações, algumas pessoas, até hoje, acham que o Foursquare pode se usada como ferramenta para sequestradores e ladrões. Por enquanto, a rede de geolocalização não estampou os jornais com esse tipo de assunto, pelo contrário, o ‘4Square’ está relacionado com o que há de mais inovador em gincana de convergência. É uma dinâmica saudável que une o online e o off-line.

Se em 2005 ninguém imaginava compartilhar em 140 caracteres o que estava acontecendo, mostrar a sua localização exata durante todo o dia era algo fora de questão. Mas então por que a rede de localização geográfica pessoal e jurídica está ganhando tantos 'Mayors'?

O Foursquare conseguiu juntar duas ações fundamentais para grande parte dos usuários de mídias sociais: a competição pelo sucesso na web e a formação da identidade digital. Essas gerações que utilizam a plataforma podem ser chamadas de estratégicas, pois ao mesmo tempo que disputam os prêmios dessa gincana – mayor, bagde e special – constroem uma personalidade, com check-ins e não somente com tweets e postagens. Dar check-in é mostrar aos seus seguidores e conexões o quão 'cool', 'hype' ou 'cult' eles são por frequentarem determinados lugares.

Essa construção não é ruim, pois a plataforma foi estruturada em cima desses padrões de comportamento e que já são utilizados por milhares de empresas para campanhas que estimulam a primeira visita de novos clientes aos estabelecimentos, e o retorno periódico de outros tantos consumidores.

Uma empresa deve atuar em diversas frentes para obter os melhores resultados e ainda conseguir propagar os check-ins no seu estabelecimento por meio de outras plataformas. Por exemplo, um restaurante pode desenvolver uma campanha com papel de mesa, móbile e outras peças gráficas para explicar e estimular os seus clientes a participarem dessa gincana no Foursquare. Junto a essa ação off-line poderá ativar duas campanhas 'special' – uma para o cliente que está visitando o estabelecimento pela primeira vez e outra para valorizar o cliente da casa – além de utilizar outras redes integradas com o Foursquare, e até mesmo incluir no próprio site um aplicativo que mostre quem está no local naquele momento.

Cada usuário pode conectar o perfil do Facebook e do Twitter ao seu perfil no Foursquare, e com isso postar os seus check-ins nas três redes de uma só vez. Isso multiplica o número de impressões por no mínimo três e gera uma visibilidade muito maior para as empresas e marcas envolvidas, estimulando os contatos das pessoas que deram check-in a irem também ao local.

Segundo pesquisas, 90% das pessoas confiam nas recomendações dos amigos e 70% acreditam na opinião de outros consumidores na internet. Imagine que um cliente passe a frequentar 3x por semana um restaurante para almoçar e efetue check-in pelo Foursquare, ele conseguirá gerar ‘curiosidade’ em relação àquele estabelecimento fazendo com que seus contatos sintam vontade de ir ao local se ainda não o conhecem. Seja pelo Foursquare ou por outras redes, os são amigos os melhores ‘coolhunters’ de lugares bacanas para se conhecer.

Para estimular os clientes a realizarem o “check-in” e compartilharem por suas redes sociais – Twitter, Facebook, etc -, algumas empresas já realizam diferentes promoções. No Brasil, o Spoleto, rede de fast-food italiana localizada no Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, está realizando uma promoção que garante uma refeição grátis na sexta-feira ao “mayor” – o usuário que apresenta maior número de “check-in” em um local.

A livraria Saraiva também realizou uma promoção em que o usuário do Foursquare que fizesse “check-in” na loja e apresentasse o ingresso para o show da Banda U2, que ocorreu nos dias 10 e 11, ganharia uma palheta especial da turne 360°. São estratégias que mostram que a rede ainda tem muito espaço para crescer no Brasil.

Nos Estados Unidos, a Pepsi inovou e realizou uma promoção solidária, em parceria com o Foursquare: para cada ponto que o usuário ganhasse – realizando “check-in” em estabelecimentos diversos – a Pepsi doaria 4 cents a uma instituição beneficente.

Monitorando dados de páginas institucionais no Foursquare, foi possível verificar o aumento do tráfego de amigos estimulados através de comentários na rede e também por causa do lançamento de ‘special’ de vários estabelecimentos.

Utilizar e estimular o Foursquare entre os clientes são as maneiras de criar uma gincana divertida, saudável e com alto poder de expansão pelas mídias sociais. É possível aumentar o número de frequentadores, conquistar novos clientes, impulsionar o buzz em torno da marca e ter um posicionamento dinâmico 3.0. Tudo isso, ligado ao aumento do consumo, seja de serviços ou de produtos. Lucre com a descoberta de novos desbravadores urbanos. Sua empresa tem 3 milhões de chances por dia de ser localizada.

E se ainda havia dúvida que os usuários estão envolvidos nessa rede, não há mais. De acordo com o Google Insights, nos últimos doze meses o número de buscas da palavra-chave Foursquare praticamente dobrou em todo o mundo. São milhares de usuários prontos para fazer o “check-in” no seu estabelecimento, como você irá recebê-los?

*Elizangela Grigoletti, jornalista, especialista em marketing internacional e mídias sociais, Gerente de Inteligência e Marketing da MITI Inteligência