Você está aqui: Página Inicial / Tecnologia / A tecnologia chega à gastronomia

Tecnologia

Tecnologia

A tecnologia chega à gastronomia

por Marcus Yabe — publicado 04/10/2011 16h58, última modificação 06/06/2015 18h27
Softwares permitem diminuir o desperdício e desenvolver novas formas de relacionamento entre os restaurantes e seus clientes

A tecnologia está mudando a relação que as pessoas têm com restaurantes, lanchonetes e redes de fast food. Se por um lado já há estudos para viabilizar eletronicamente um pedido para a refeição, por outro a internet e as redes sociais já se mostram ótimas parceiras para os estabelecimentos ganharem publicidade e, com isso, novos consumidores.

A praticidade de automação

O mercado da alimentação passa por mudanças graças aos investimentos em sistemas eletrônicos de gestão e controle da produção da comida até a mesa do cliente. Além da facilidade de gerenciamento, os novos softwares usados no setor também permitem diminuir o desperdício na produção e desenvolver novas formas de relacionamento entre os restaurantes e seus clientes.

Nos sistemas desenvolvidos para restaurantes e lanchonetes, até mesmo realidade aumentada vem sendo testada para facilitar a vida de quem deseja uma experiência mais completa durante uma refeição. O cliente poderá ter vários pratos projetados e, com isso, visualizar o que irá comer antes mesmo do prato ser elaborado, acabando com dúvidas sobre quantidade, aspecto e ingredientes. É a experiência de “comer com os olhos” colocada em prática. Você poderá ter todas as informações nutricionais referentes ao seu pedido “impressas” na superfície da mesa ou através de um dispositivo específico.

Porém, a experiência da realidade aumentada no momento ainda é mais um desejo que uma realidade. O que está mais próximo do dia a dia é o uso de tablets e outros dispositivos móveis como cardápios ilustrativos: imagine chegar a um restaurante e fazer o pedido utilizando um tablet disponível à mesa conectado ao servidor central.  Com atualização automática da comanda, os erros serão minimizados ao mesmo tempo em que garante maior conforto ao consumidor. Parece ser uma questão de tempo para algumas redes de lanchonetes adotarem tal prática.

As redes sociais ajudam os restaurantes

Compartilhar as ações com os amigos usando a internet também já faz parte do universo gastronômico. O Foursquare, a cada vez mais usada rede de geolocalização via celular, é uma febre em vários países e tem desencadeado gincanas entre os brasileiros, que usam a ferramenta para interagir com estabelecimentos que dão descontos para quem faz o check in nos restaurantes. Em contrapartida, muitos redes de fast foods, bares e lanchonetes têm apostado na criação de campanhas que estimulem a presença desses competidores famintos.

O Facebook também converteu-se em uma plataforma dinâmica, com alto grau de exploração pelos gestores da área de alimentação. Em São Paulo, por exemplo, é possível fazer reservas em estabelecimentos via Facebook. Diversos aplicativos do site têm sido criados e, com isso, a rede que é a nova queridinha dos brasileiros poderá se converter em um guia gastronômico, criando uma dinâmica de compartilhamento das experiências vividas por cada cliente com a sua rede de contatos. Tal fato ajudará no fortalecimento de cada marca e contribuirá na fidelização dos novos visitantes, estimulados pela mídia social.

O brasileiro também tem aproveitado o avanço dos sites de compras coletivas para conhecer outros restaurantes e adquirir novas experiências gastronômicas. Pizzarias, bares e cafés registram ótimos índices na utilização das estratégias de vendas através desses sites. É conhecido o caso da pizzaria que vendeu mais de 50 mil vouchers para o rodízio de pizzas, no valor de R$ 5,90, estabelecendo uma nova dinâmica com os consumidores e conseguindo expandir a visualização da marca para um público que, até então, não frequentava o local.

As facilidades não param por aí. Desenvolvedores do mundo inteiro estão focados em criar soluções para o cotidiano. Foi criado um aplicativo, o Ness, que indica restaurantes de acordo com os gostos de cada pessoa. Isso é possível através deinformações capturadas no Facebook e Foursquare do usuário e de sua rede de contatos, estabelecendo um novo padrão de sugestão, através do estudo personalizado do comportamento do indivíduo que usa este aplicativo.

Portanto, a internet está ajudando restaurantes, bares e lanchonetes a criar um universo real e virtual de críticos gastronômicos, cuja rede de contatos será a credencial para validar as opiniões, que nem sempre são favoráveis – e cabe aos estabelecimentos facilitar o acesso entre os empreendimentos, os canais opinativos e os clientes, e assim implantar definitivamente o uso das plataformas tecnológicas, que possibilitarão o atendimento e entendimento das expectativas desse novo consumidor, tornando as experiências únicas e cada vez mais agradáveis.

*Marcus Yabe é especialista em Mídias Sociais e Coordenador de Inteligência de Mercado e Mídias Sociais da MITI Inteligência.