Você está aqui: Página Inicial / Sustentabilidade / Pobre arroz com feijão...

sustentabilidade

Alimentos

Pobre arroz com feijão...

por Greenpeace Brasil — publicado 12/08/2010 15h48, última modificação 12/08/2010 15h48
Para os ruralistas, o prato típico na mesa do brasileiro é o "bife duplo com soja e açúcar"

Qual é o prato típico do brasileiro? "Arroz com feijão"? "Moqueca de peixe"? "Acarajé com vatapá"? Não, nenhum deles. É o "bife duplo com soja e açúcar". Ao menos é o que dizem os ruralistas.

Em artigo publicado hoje no jornal Valor Econômico, o ministro da agricultura Wagner Rossi argumenta que o atual Código Florestal impede o desenvolvimento da produção de alimentos. Ele raciocina que "alimento não nasce em prateleira de supermercado", e tenta ligar a nossa alimentação à necessidade de mudar a lei florestal. Ou ele não conhece a realidade e age de má fé, ou ele criou uma nova dieta para os brasileiros.

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, CONAB, órgão ligado ao ministério de Rossi, o arroz ocupa hoje uma área de cerca de 3 milhões de hectares, equivalente a 4% da área ocupada com agricultura no Brasil (sem contar pecuária). O feijão ocupa uma área de cerca de 4 milhões de hectares, ou seja, 5% da área agrícola.

No total, todo o arroz e feijão produzido no Brasil cabe em 7 milhões de hectares, ou seja, 9% da área agrícola brasileira. Se usássemos o que foi desmatado na Amazônia, aumentaríamos a produção do nosso arroz e feijão em 10 vezes.

Nosso ministro, contudo, acha que o Código Florestal trava nossa produção de alimentos. Ele deve estar mais preocupado com o novo prato que ele inventou: o bife duplo com soja e açúcar.

Ainda segundo a CONAB, a soja ocupa quase 30% da área agrícola brasileira. A cana, segundo a União da Indústria Canavieira, UNICA, ocupa quase 10%. Além disso, a pecuária brasileira ocupa nada mais nada menos do que 200 milhões de hectares, ou seja, 2 vezes e meia toda a área destinada à produção agrícola. Isso representa quase 25% do território nacional.

Ou seja, para mudar profundamente o Código Florestal, anistiando quem cometeu crimes ambientais e permitindo mais desmatamento, os ruralistas inventam os maiores absurdos, inclusive novas dietas para os brasileiros. Pobre arroz com feijão...