Você está aqui: Página Inicial / Sustentabilidade / Mutirão vai equipar carroceiros de SP

sustentabilidade

Virada Sustentável

Mutirão vai equipar carroceiros de SP

por Marcelo Pellegrini — publicado 31/05/2012 15h27, última modificação 06/06/2015 18h23
Na Semana do Meio Ambiente e no mês da Rio +20, projeto faz atendimento médico e psicológico a carroceiros catadores de lixo no centro de São Paulo. Categoria coleta 90% do lixo que a cidade recicla
pimp-my-carroca-2

O projeto 'Pimp My Carroça' quer transformar as carroças dos catadores em obras de arte ambulantes. Foto: Flickr /Blog do Milton Jung (Creative Commons)

A cidade de São Paulo recicla apenas 1,2% de todo o seu lixo, segundo dados da própria prefeitura. Mas a situação seria ainda mais preocupante se não existissem os catadores de material reciclável, que circulam pela capital com carroças improvisadas com madeira e rodas de carro.

Eles são responsáveis por coletar cerca de 90% dos materiais reciclados na cidade. Ainda assim, são praticamente ignorados pelos paulistanos. “Os carroceiros desempenham um papel importante para a cidade e poucas pessoas se dão conta disso. Eles são invísiveis", diz Mundano, grafiteiro e idealizador do projeto Pimp My Carroça. "Eles só são notados quando atrapalham o trânsito e recebem buzinadas por isso”, conta.

O Pimp My Carroça nasceu há cinco anos com o objetivo de aumentar a autoestima dos catadores através da pintura de suas carroças. Além disso, "a carroça é um suporte perfeito porque ninguém pode apagar a mensagem do grafiteiro e, de quebra, a mensagem transita por toda a cidade", explica Mundano.

Misturando arte com respeito pelos carroceiros, este ano o projeto conta com a colaboração de 300 voluntários, reunidos no Vale do Anhangabaú, para transformar as carroças em um meio mais seguro de locomoção e suporte urbano para a arte de 50 grafiteiros.

A ação, que acontece no domingo 3, integra a Virada Sustentável de São Paulo e irá munir as carroças com faixas refletivas, espelhos retrovisores e luvas e capas de chuva para os catadores.

“A gente é contra a carroça e as condições precárias de trabalho dos carroceiros. Pintar carroça não é maquiar o problema, é escancarar”, diz Mundano, que já pintou mais de 160 carroças. “São Paulo não pode falar que não tem dinheiro para coleta seletiva, o que acontece são acordos mal feitos firmados com empresas”, critica.

Visibilidade

Segundo Mundano, o objetivo da ação no domingo é ter um dia em prol dos catadores e convidar as pessoas para conhecer essa realidade. De acordo com ele, as atividades começarão com um cadastro dos carroceiros, que depois serão encaminhados para as tendas de atendimento.

Ao todo serão onze tendas voltadas desde o atendimento médico e psicológico dos catadores até o tramento de seus cachorros e a reforma de suas carroças. Na tenda PimpOlhos, por exemplo, será oferecido atendimento oftalmológico e óculos de grau ou de sol serão doados. Já na Cãopanheiro, as atenções serão direcionadas para o tratamento dos cachorros dos carroceiros. Enquanto na Funilaria serão reforçadas as estruturas de madeiras e metais das carroças.

"É preciso prestar o cuidado mínimo com esses pofissionais e mostrar para os moradores da cidade que eles existem", diz Mundano. Para ele, é tempo da ciadade encarar o lixo não como um problema, mas como uma solução. “O lixo é a solução para diversos problemas socio-ambientais. Por meio dele é possível gerar renda, empregos, tirar pessoas das ruas e poupar recursos naturais."

Às 17 horas está programada uma carroceata pelo centro de São Paulo com 14 pontos de parada para informar o público sobre reciclagem.

A Virada Sustentável acontece nos dias 2 e 3 de junho e conta com cerca de 600 atrações relacionadas à sustentabilidade, distribuídas em mais de 120 pontos da capital. A programação oficial pode ser conferida aqui.