Você está aqui: Página Inicial / Sustentabilidade / Empresas do Projeto Organics Brasil exportam mais de US$ 100 milhões em 2010

sustentabilidade

Comércio Exterior

Empresas do Projeto Organics Brasil exportam mais de US$ 100 milhões em 2010

por Coluna do Leitor — publicado 27/12/2010 13h24, última modificação 27/12/2010 13h24
O projeto é resultado de uma ação conjunta da iniciativa privada com o IPD (Instituto de Promoção do Desenvolvimento) e da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos)

O Projeto Organics Brasil, que reúne 72 empresas exportadoras de produtos e insumos orgânicos, fecha o ano de 2010 com um resultado consolidado de US$ 108,2 milhões, sendo que o setor de alimentos representou cerca de 96% de todas as exportações realizadas, principalmente para os Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Canadá, Canadá, Espanha, Coréia do Sul, China e Austrália.

Este volume foi cerca de 60% superior ao ano passado e a sinalização para 2011 é de otimismo e continuo crescimento, com destaque para o segmento de produtos semi-industrializados e produtos a granel.

Em 2010, no segmento de cosméticos e não alimentos, o crescimento foi na ordem de 25% comparando-se com 2009, com destaque para as marcas Surya Brasil e Ikove, que atualmente estão presentes em mais de 12 países na Europa, Ásia e América do Sul com suas marcas próprias. Nos segmentos de alimentos, os destaques foram: o açúcar, polpas de frutas como o açaí, acerola e laranja, mel, castanhas nacionais; e produtos liofilizados como frutas e café que chegam a mais de 70 países em todos os continentes.

“Os produtos exportados com marca própria tiveram redução de 25%, se comparados com 2009, porém com o forte crescimento no mercado nacional, as empresas optaram por investir no mercado interno. No mercado externo, a taxa de câmbio dificultou a competitividade, além do alto custo de promoção de uma marca própria no mercado internacional, muitas vezes proibitivo para as pequenas e médias empresas”, analisa Ming Liu, que é coordenador executivo do Projeto Organics Brasil.

O maior expoente brasileiro é a Native, empresa referencial no mercado mundial de orgânicos, que exporta açúcar para mais de 60 países, sendo que seus produtos com a marca brasileira chegam ao consumidor final de 26 países em todos os continentes.

“A tendência para 2011 é ter o mercado interno em forte expansão, com a expectativa da oficialização da instituição do selo nacional de orgânicos. Em relação ao mercado externo, a oficialização da regulamentação nacional permite rastreabilidade e credibilidade, permitindo crescimento nos negócios”, conclui Ming Liu.

O Projeto Organics Brasil é resultado de uma ação conjunta da iniciativa privada com o IPD (Instituto de Promoção do Desenvolvimento) e da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), compondo uma sólida base institucional criada para fortalecer o setor brasileiro de orgânicos e viabilizar sua expansão no mercado internacional.