Você está aqui: Página Inicial / Sustentabilidade / Deputados criam a Frente da Produção Orgânica

sustentabilidade

Meio Ambiente

Deputados criam a Frente da Produção Orgânica

por Redação Carta Capital — publicado 07/08/2012 18h50, última modificação 07/08/2012 18h51
O objetivo é reunir ambientalistas e fazer um contraponto ao modelo representado em Brasília pela bancada ruralista
organicos

Foto: Jovem Rural/Flickr

Na quarta-feira 8, será lançada na Câmara dos Deputados, a partir das 9h, a Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento da Agroecologia e Produção Orgânica. Será uma espécie de contraponto à bancada ruralista, uma das principais forças a representar os interesses do agronegócio no Congresso. Idealizadora do grupo, a deputada federal Luci Choinacki (PT-SC) afirma que o objetivo do grupo é estimular o debate entre parlamentares, movimentos sociais e o Poder Executivo em relação a uma alimentação saudável e livre de venenos. O colegiado deverá articular alternativas ao modelo de agricultura no Brasil. Estarão presentes no lançamento da Frente Parlamentar os ministros do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e das Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

A agroecologia e produção orgânica consistem em alimentos saudáveis, sem uso de agrotóxicos, nem adubos químicos ou hormônios. Consequentemente, esses alimentos não agridem a natureza e mantém a vida do solo inalterada. “Além de aspectos ambientais, a agroecologia considera aspectos sociais, éticos e políticos da agricultura, valoriza os saberes populares, o modo de vida camponês e a economia solidária e ecológica. A sociedade deve se preocupar com os alimentos que vão para as suas casas. O alface, o feijão, não nascem no supermercado, passam por um longo processo até chegar ali”, enfatiza Luci Choinacki.

O governo federal estima em 200 mil a quantidade de famílias empregadas na produção de alimentos orgânicos no País. A presidenta Dilma Rousseff tem debatido com os ministros um projeto para aumentar o número de famílias para 300 mil até 2014. Por meio da Política Nacional de Agroecologia, o governo planeja também ampliar de 2% para 15% a participação de produtos orgânicos nas compras governamentais, além de incentivar o consumo desses produtos pela população.

“Considero que para alcançar as metas é necessário que haja um aumento na distribuição de sementes, a capacitação dos produtores e da assistência técnica para que se possa garantir a certificação dos produtos. Juntos e com o mesmo objetivo, o Governo Federal e a Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento da Agroecologia, vamos fortalecer novas relações no meio rural, a segurança alimentar e nutricional e o estímulo à pesquisa”, afirma a deputada.

Com origem na agricultura familiar de Santa Catarina, Luci Choinacki, diz haver no País uma necessidade de desenvolver na cultura e legislação brasileira a importância da agroecologia e da produção orgânica como base do desenvolvimento rural sustentável. “É preciso possibilitar à população melhor qualidade de vida através da oferta de alimentos saudáveis e do uso sustentável dos recursos naturais”, enfatiza. Luci ainda acrescenta: “os assentamentos da reforma agrária podem atuar como protagonistas nesse processo, por meio da troca de experiências, desde o preparo até a comercialização dos produtos com valor agregado”.

Os deputados federais Janete Capiberibe (PSB/AP), Sarney Filho (PV/MA), Afonso Florense (PT/BA), Celso Maldaner (PMDB/SC), Fernando Ferro (PT/PE) e Padre João (PT/MG) são os coordenadores regionais da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento da Agroecologia e Produção Orgânica.