Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Vaticano e Itália assinam acordo contra a lavagem de dinheiro

Sociedade

Santa Sé

Vaticano e Itália assinam acordo contra a lavagem de dinheiro

por AFP — publicado 29/07/2013 14h41
O caso mais grave foi em 1982 com a falência do Banco Ambrosiano, um escândalo bancário que envolveu a CIA (Agência de Inteligência Americana) e a maçonaria

O Vaticano e a Itália assinaram um "protocolo de acordo" para cooperar na luta contra a lavagem de dinheiro, após os escândalos que atingiram as instituições financeiras da Santa Sé, anunciaram nesta segunda-feira 29 as duas partes.

O acordo foi assinado em 26 de julho pela Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Vaticano, dirigida por um suíço especializado em crimes financeiros, e por Roma pela Unidade de Informações Financeira (UIF) do Banco da Itália, indica um comunicado da Santa Sé.

"O protocolo assinado foi redigido com base no modelo preparado pelo Egmont Group, a organização mundial das agências de informações financeiras nacionais", afirma o comunicado.

Ao longo dos anos, escândalos mancharam a reputação do Banco do Vaticano, o Instituto para as Obras de Religião (IOR), principalmente com meios criminosos aproveitando-se do anonimato e discrição da instituição para lavar seus fundos.

O caso mais grave foi em 1982 com a falência do Banco Ambrosiano, um escândalo bancário que envolveu a CIA (Agência de Inteligência Americana) e a maçonaria.

O mais recente envolveu um prelado que trabalhava na Administração do Patrimônio da Sede Apostólica (APSA), o organismo que administra os bens da Santa Sé, e que foi preso no final de junho pela polícia italiana que suspeita que ele utilizou suas contas no IOR para lavar dinheiro oriundo de evasão fiscal.

O Papa Francisco reagiu nesta segunda-feira a este anúncio afirmando: "Temos um prelado que está na prisão, é um escândalo, alguma coisa que faz mal".

Bento XVI, e agora seu sucessor Francisco, decidiram colocar ordem no IOR, nomeando sucessivamente novos responsáveis e instaurando controles cada vez mais severos por este instituto, principalmente com a criação da AIF, no final de dezembro de 2010.

"A Santa Sé leva muito a sério suas responsabilidades internacionais em matéria de luta contra a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo", comentou o suíço René Brülhart, diretor da AIF, citado pelo comunicado.

"A assinatura deste protocolo de acordo ressalta claramente nosso engajamento para (...) facilitar os esforços comuns (com a Itália) e a luta contra a lavagem de dinheiro", acrescentou o especialista suíço.

A AIF que ele dirige já assinou acordos parecidos com os Estados Unidos, a Bélgica, a Espanha, a Eslovênia e a Holanda, enquanto que "outros países deveriam seguir durante o ano", indica o comunicado.

*Leia mais em AFP Móvel

registrado em: , ,