Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / SP vai pagar bônus para policiais que baterem metas de redução de crimes

Sociedade

Segurança Pública

SP vai pagar bônus para policiais que baterem metas de redução de crimes

por Agência Brasil publicado 20/01/2014 15h26
O secretário de Segurança Pública e o governador anunciaram programa que pode oferecer um acréscimo de até 8 mil reais por ano para cada agente
Marcelo Camargo/ABr
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou o programa nesta segunda-feira 20

Um programa de metas e bonificação para as polícias do estado de São Paulo, voltado para a redução dos principais indicadores de criminalidade, vai oferecer um acréscimo no salário de até 8 mil reais por ano, para cada policial.

As metas que começaram a valer neste mês, foram anunciadas nesta segunda-feira 20 para representantes das polícias Militar, Civil e Científica em um seminário no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista. O secretário de Segurança Pública, Fernando Grella, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, convocaram uma coletiva para anunciar as metas, que valerão para três indicadores: crimes contra vida - homicídio doloso e latrocínio -, roubos em geral, além de furtos e roubos de veículos.

A meta para este trimestre em todo o estado é que roubos e furtos de veículos fiquem em 57,4 mil ocorrências. "Queremos estancar (os números) para depois diminuir", disse o secretário. O número de roubos, no período, deve ser de 50,7 mil. Já a meta para a quantidade de vítimas de crimes contra a vida é de 1,27 mil.

De acordo com o governador, o pagamento aos policiais será feito a cada três meses e as metas poderão também ser revisadas trimestralmente. Além disso, os considerados cinco melhores policiais do estado serão bonificados com 20 mil reais por ano, cada um. Na hipótese de todos os policiais atingirem as metas, o governo desembolsaria um total de 700 milhões de reais por ano.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de fraude na apuração dos dados, o secretário defendeu que haverá automatização da coleta de dados para evitar manipulação. "Estamos bem tranquilos quanto a isso, pois vamos praticar a transparência", disse. "As situações que tivermos notícias, de irregularidades no registro da ocorrência, certamente serão apuradas e, se for o caso, punidas."