Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / 'Serra não inventou programa contra a Aids'

Sociedade

Polêmica

'Serra não inventou programa contra a Aids'

por Clara Roman — publicado 01/12/2011 19h18, última modificação 06/06/2015 18h56
Especialista que trabalha há 20 anos na área afirma que o Programa foi criado por um grupo pluripartidário e que José Serra chegou depois

Segundo Vera Paiva, coordenadora do Núcleo de Estudos para Prevenção da Aids  (Nepaids), não foi José Serra quem inventou o programa de combate à Aids brasileiro nem quebrou a patente dos remédios que compõem o coquetel anti-retroviral.

Em sua gestão como ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso, o governo tucano intensificou o combate à doença ao ameaçar quebrar as patentes de medicamentos produzidos por grandes laboratórios. O PSDB usa do fato para colocar o modelo brasileiro de tratamento da doença como trunfo político.

“É um mito errado, que me ofende”, diz ela. O Nepaids existe há vinte anos, período em que Vera diz ter acompanhado o trabalho para criação do programa. “Desde os anos 1990, estávamos fazendo um programa de prevenção maravilhoso e pluri-partidário”, diz ela.

“A pior coisa é partido é ficar brigando sobre quem inventou. Quando ele [Serra] chegou, os genéricos já estavam aí”, afirma. Em 1996, o senador José Sarney elaborou e conseguiu aprovar a Lei 9313, que prevê a distribuição gratuita do coquetel a todos que então conviviam com HIV/Aids.

Em 1998, quando José Serra assumiu o Ministério da Saúde, o programa já estava implantado e começava a dar seus primeiros passos. À frente do órgão, Serra ameaçou quebrar patentes dos medicamentos anti-retrovirais em 2001 dos laboratório Roche e Merck, Sharp & Dhome. Um acordo impediu a quebra das patentes, mas os medicamentos passaram a ser comprados por um preço menor.

A patente só seria quebrada pelo ministro da Saúde José Gomes Temporão em 2007, durante o governo Lula, quando o País começou a comprar o medicamento da Índia. Pouco depois, o Brasil começou a fabricar o próprio medicamento, a partir de estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ainda assim, José Serra e seu marketing pessoal reservou o título à si.

 

registrado em: , ,