Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Petrobras confirma vazamento de combustível em São Sebastião (SP)

Sociedade

Litoral de São Paulo

Petrobras confirma vazamento de combustível em São Sebastião (SP)

por Agência Brasil publicado 06/04/2013 18h29, última modificação 06/06/2015 18h24
Desde a tarde de sexta-feira empresa trabalha com 27 embarcações e 300 pessoas para remover produto

Por Bruno Bocchini*
São Paulo – A Petrobras Transporte (Transpetro) confirmou neste sábado 6 que por volta das 17h50 de ontem foi detectado um vazamento de combustível marítimo no píer do Terminal Almirante Barroso (Tebar), em São Sebastião (SP). Não há informações ainda sobre a quantidade de óleo derramado.

“Imediatamente, equipes de contingência foram acionadas e, durante toda a noite e a madrugada, atuaram na contenção do vazamento e na remoção do produto. No local da ocorrência, no entorno do píer, o processo de limpeza está sendo concluído”, disse a empresa em nota.

Na manhã deste sábado, os profissionais mobilizados pela Transpetro continuavam trabalhando para retirar o óleo. Segundo a empresa, o óleo alcançou as praias Deserta, Pontal da Cruz, Ponta do Lavapés e Portal da Olaria. A Transpetro trabalha com 27 embarcações e cerca de 300 pessoas para remover o produto. As causas do incidente estão sendo apuradas.

De acordo com a prefeitura de São Sebastião, passam pelo píer do terminal cerca de 55% do petróleo consumido em todo o país. A Vigilância Sanitária do município fez um alerta pedindo para que moradores e turistas não frequentem as praias da região central e do litoral norte até uma análise mais criteriosa dos impactos.

As praias que devem ser evitadas são: Porto Grande, Deserta, Ponta da Cruz, Arrastão, Portal da Olaria, São Francisco, Figueira, Cigarras e Enseada. Segundo a prefeitura, em toda a região afetada há relatos de forte cheiro de produto químico nas águas.

“Não sabemos ainda se é óleo, mas dá para afirmar que é um derivado de petróleo. O vazamento foi de grandes proporções, tanto que atingiu várias praias. Não podemos descartar que esse produto se espalhe ainda para as cidades vizinhas”, disse, em nota, o secretário de Meio Ambiente de São Sebastião, Eduardo Hipólito do Rego.

*Publicado originalmente em Agência Brasil.

registrado em: , ,