Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Parlamento Europeu pede afastamento de Blatter, que descarta saída da Fifa

Sociedade

Parlamento Europeu pede afastamento de Blatter, que descarta saída da Fifa

por Agências* — publicado 11/06/2015 17h57, última modificação 11/06/2015 18h01
Enquanto deputados prometem reforçar ação policial, presidente da entidade diz que só vai embora depois de convocar novas eleições
EBC
 Joseph Blatter

Joseph Blatter: de malas prontas

As as denúncias de corrupção na Fifa, o Parlamento Europeu pediu nesta quinta-feira 11 à entidade o afastamento imediato de Joseph Blatter de seu comando e a escolha de um presidente interino por meio de “processos decisórios abertos, equilibrados e democráticos”. Blatter, no entanto, respondeu por meio de um porta-voz que não pretende acatar o pedido. 

Em nota oficial, as autoridades europeias requerem a invalidação das decisões sobre a realização das copas do Mundo de 2018, na Rússia, e de 2022, no Catar, caso surjam provas de que tenha havido corrupção no processo de escolha desses países.

No pedido, os parlamentares reivindicam que o órgão dirigente do futebol mundial “leve a cabo reformas urgentes para acabar com a corrupção generalizada e sistêmica” que atinge a federação. O Parlamentou acrescenta que "a Fifa funcionou durante vários anos como uma organização inimputável, opaca e manifestamente corrupta", o que justifica “reformas radicais” na estrutura e práticas da entidade.

Para os deputados europeus, a federação deve adotar um código de conduta para seus dirigentes e membros do Comitê Executivo, além de aceitar a supervisão de um órgão externo independente. “O futebol, o desporto mais popular no mundo, não pode ver a sua reputação manchada por esta cultura da corrupção."

Aos países-membros da União Europeia, a nota reivindica a adoção de “medidas para combater todo e qualquer indício de atos de corrupção cometidos por funcionários da Fifa ou das federações nacionais de futebol”, bem como contra práticas criminosas como vícios nos resultados dos jogos, algo que segundo o Parlamento Europeu têm afetado muitos países do continente.

A nota adota um tom ameaçador ao afirmar que a cooperação policial na Europa será reforçada com a criação de equipes de investigação e maior cooperação entre as autoridades judiciais.

Em resposta, Blatter negou a intenção de acatar o pedido de afastamento “imediato”. Segundo o porta-voz, a entidade ficou “perplexa” com a reivindicação europeia. Mesmo assim, o presidente da entidade só pretende deixar o cargo depois de convocar novas eleições. “A Fifa está perplexa com a resolução do Parlamento Europeu [...] O presidente da Fifa já decidiu abandonar seu mandato durante um congresso extraordinário eletivo”, afirmou seu porta-voz. 

*Agência Brasil, Agência Lusa e AFP