Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Para professores, ausência da família aumenta problemas em sala de aula

Sociedade

Educação

Para professores, ausência da família aumenta problemas em sala de aula

Docentes temem que pouca presença dos familiares transforme escola em "depósito de crianças"
por Rede Brasil Atual — publicado 31/08/2010 17:00, última modificação 31/08/2010 14:59
Comments

Docentes temem que pouca presença dos familiares transforme escola em "depósito de crianças"

Uma certa confusão ronda a educação. O que é responsabilidade de quem parece que é uma grande dificuldade para pais e mestres. Os professores chamam atenção para a falta de participação de pais ou responsáveis na vida escolar das crianças e a transferência de responsabilidade da educação informal, aquela que acontece no ambiente doméstica e a partir do convívio familiar - para a escola.

Para o professor Tomé Ferraz, das disciplinas de física e matemática da rede pública estadual e municipal, a escola transformou-se em "depósito de crianças" e os professores seriam "babysitters" (babás) de luxo.

As crianças da geração conhecida como "Y", parece que já nascem "conectadas" na informática e é difícil convencê-las a prestar atenção à aula ou valorizar a educação propiciada pela escola. Parte das aulas é perdida em pedidos de atenção à aula ou para desligar o "Ipod", descreve o docente. "Eles não têm só celular, eles têm uma verdadeira tevê e levam para a sala de aula", condena.

Lidar com essa nova face da infância e da adolescência é cada vez mais difícil sem a colaboração das famílias, indica. "A família participa pouco da vida da criança, sobra tudo para a escola", reflete Tomé.

"Realmente não entendo como os pais, por mais simples que sejam, não tenham consciência de que é preciso valorizar a lição de casa, dar um abraço, acompanhar pelo menos um pouco o filho", indigna-se Jaime*, da área de Geografia.

Rosana Almeida, professora de sociologia, conta que adora dar aula, mas não pode ser responsável pela educação familiar. "Eu vou ensinar a pensar, sou uma professora à antiga, comer com garfo e faca é responsabilidade de pai e mãe", declara.

Segundo Cristina*, professora de biologia, a família ou a ausência dela "pesa muito". "Na cabeça dos pais, parece que agora a escola é obrigada a dar toda a educação", adverte. "Eu vejo o aluno um hora por dia, por mais vontade que eu tenha, há 35 precisando de atenção, que eu não posso abandonar", alerta.

* Os nomes de alguns entrevistados foram alterados a pedido dos professores

registrado em:

Comentários

Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

comentários do blog alimentados pelo Disqus
Dicionário eleitoral (para ingênuos)

Dicionário eleitoral (para ingênuos)

Edição Atual | Anteriores

Revista Digital

Índices Financeiros
Moedas
Dolar Comercial +0.00% R$0,000
Dolar Paralelo +0.00% R$0,000
EURO +0.00% R$0,000
Bolsas
Bovespa +1,03% 56789
Nasdaq +1,03% 12340
Frankfurt +1,03% 38950

Especial Haiti

Diálogos Capitais