Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / De folga, modelos seguem sob a mira dos franco-atiradores

Sociedade

Semana da Moda de Paris

De folga, modelos seguem sob a mira dos franco-atiradores

por The Observer — publicado 01/10/2013 09h14, última modificação 01/10/2013 16h19
Com fotógrafos em cada esquina, as modelos são cada vez mais analisadas pelo que vestem fora das passarelas. Por Lauren Cochrane, de Paris, The Observer
Patrick Kovarik / AFP
chanel 1.jpg

Desfile da Chanel nesta terça-feira, durante a semana de moda primavera-verão 2014, no Grand Palais, em Paris

Lauren Cochrane, em Paris

As roupas que as modelos vestem nas passarelas são o pão com manteiga de qualquer temporada de moda, mas o estilo adotado por elas nas horas vagas está se tornando quase tão analisado quanto – e fotografado, é claro.

Na Semana de Moda de Paris, que começou na quarta-feira 25, o empurra-empurra dos fotógrafos na rua perto dos desfiles cresce a cada dia. Enquanto flagram editoras elegantes de Céline e Prada na entrada, as fotos das modelos a envergar suas próprias roupas a caminho dos desfiles – muitas vezes em uma bike motorizada – estão sendo muito procuradas.

O visual da modelo "à paisana" se desenvolveu juntamente com o crescimento da fotografia da moda de rua. Enquanto há estrelas em ascensão como Hanne Gaby Odiele e Hanneli Mustaparta – que têm estilos pessoais únicos –, o típico visual da modelo de folga é mais simples. Consiste em básicos urbanos: camisetas cinza, jaquetas de couro, jeans justos, shorts curtos e (um must) botas curtas. Um pouco grungy, com um toque rock'n'roll, Freja Beha Erichsen e Erin Wasson são a síntese desse visual.

"Elas [modelos] têm um estilo relax e verdadeiro", diz Daniel Troyse, cofundador do respeitado blog Stockholm Street Style. "Usam H&M, Zara – como qualquer garota – durante alguns anos, depois começam a comprar marcas como Isabel Marant e Acne."

Paris é a capital desse look, com a sueca Acne, é claro, na liderança. Para sua estreia na cidade no sábado, a marca trouxe um sabor claramente sueco. Pelle Almqvist, dos Hives, abriu os trabalhos cantando a antiga canção sueca "Till Havs", e a coleção tinha um tema marítimo, com destaque para calças de pescador e âncoras. "Era marítimo, mas tinha nossa visão", disse o diretor de criação Jonny Johansson, nos bastidores.

A abordagem da Acne está no coração da estética da modelo nas horas vagas. Enquanto outras marcas de Paris como Lanvin e Christian Dior apresentam uma estética muito desejável, são definitivamente "chiques". A Acne vem de outra escola de pensamento, em que predominam o conforto e a "usabilidade", misturadas com uma pitada de rock'n'roll.

Johansson comentou que as modelos gostam da marca porque "ganham de graça", mas reconheceu uma certa qualidade de vida real urbana em sua etiqueta, que combina com esse visual à paisana: "Eu gosto de fantasia, mas há uma funcionalidade sueca que as pessoas apreciam". Malhas de lã folgadas, jaquetas de couro branco rasgado e blazers são novas peças da temporada que provavelmente serão vistas sobre motonetas no próximo verão.

O fato de as modelos usarem roupas da sua marca quando estão de folga é uma maneira esperta de conseguir apoios dirigidos sem publicidade. Apresentando as longas pernas das modelos e sua capacidade de posar, essas imagens urbanas acabam em inúmeros blogs ao redor do mundo – e as não modelos as imitam comprando essas marcas. A Acne divulgou 70 milhões de libras em receitas em 2012 e vários sucessos da marca, incluindo a jaqueta de couro Rita Black e a bota Pistol, podem ser atribuídos às modelos que as usam.

"As modelos parecem confortáveis e bacanas", disse Julia Sarr-Jamois, editora de moda colaboradora da Pop e ex-modelo. "É um visual bastante acessível. As pessoas querem ser a garota que consegue simplesmente pular da cama e vestir uma malha, seja realidade ou não."

Troyse diz que a modelo tem motivos para fazer pose fora das passarelas, especialmente em uma cultura cada vez mais voltada para o digital. "Se ela tiver sua foto publicada, reforça seu perfil", diz. "Uma modelo com muitos seguidores no Instagram terá uma vantagem sobre outra com nenhum." Ross Young, diretor de novas caras na Next Models, concorda: "Faz as pessoas falarem sobre elas. Quando as garotas têm uma forte base de fãs online, podem passar de modelos a ícones da moda e top models".

Young acrescenta que quando uma nova modelo é contratada pela Next, é aconselhada a adotar o guarda-roupa "casting": "Jeans justos, shorts ou saia e um top frouxo – roupas que mostram a forma do corpo mas também expressam seu estilo individual". Enquanto ele cita marcas mais conhecidas como Topshop e Asos como favoritas, concorda que "a Acne define o visual tradicional de modelo".

Duas outras favoritas, Isabel Marant e Vanessa Bruno, desfilaram em Paris na sexta-feira 27. Bruno tinha um visual descontraído, com jaquetas desestruturadas, vestidos moles de jeans e saias de cintura baixa usadas com botas sem calcanhar. Para uma trilha sonora que incluía Stooges e Primal Scream, a coleção da Marant apresentou jeans rasgados cortados em losangos, usados com blazers e bonitas blusas camponesas.

É um visual que pode ir instantaneamente da passarela para o guarda-roupa da modelo – sexy e fácil, mas com um corte firme que é o trunfo da Marant e consegue muitos negócios a partir das modelos. Isso inclui favoritas da indústria como Catherine McNeil e Saskia De Brauw e a pin-up da geração Instagram, Georgia May Jagger, todas as quais desfilaram para ela. Com a coleção Marant para a rede de lojas H&M a ser lançada em novembro, a modelo "à paisana" deverá ser um visual comum nas ruas.