Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Mulheres são mais da metade dos médicos recém-formados no Brasil

Sociedade

Sociedade

Mulheres são mais da metade dos médicos recém-formados no Brasil

por Agência Brasil publicado 30/11/2011 15h39, última modificação 30/11/2011 15h39
Feminização na medicina acompanha o aumento de mulheres na população brasileira em geral e é tendência em outros países
Feminização na medicina acompanha o aumento de mulheres na população brasileira em geral e é tendência em outros países

Feminização na medicina acompanha o aumento de mulheres na população brasileira em geral e é tendência em outros países

Por Carolina Pimentel*

Desde 2009, as mulheres representam mais da metade dos médicos brasileiros recém-formados. É o que revela a pesquisa Demografia Médica no Brasil, divulgada nesta quarta-feira 30 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

Naquele ano, foram registradas 7.301 novas médicas no país, 50,23% do total. Em 2010, a taxa subiu para 52,4% do total, com 7.634 profissionais mulheres. Elas também são maioria entre os jovens profissionais da categoria com até 29 anos. Em 2011, dos 48.569 médicos nessa faixa etária, 53,3% eram mulheres ante 46,6% de homens.

Para os pesquisadores, a feminização na medicina acompanha o aumento de mulheres na população brasileira em geral e é também uma tendência em outros países. Um estudo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), de 2007, revelou que a proporção de mulheres médicas, em 30 países estudados, cresceu 30% entre 1990 e 2005.

No entanto, os homens estão em maior número entre os profissionais em atividade. Dos 351.779 médicos ativos no país, 206.639 são do sexo masculino (58,7%) e 145.140 são do feminino (41,2%). “Ao menos nas próximas décadas, o predomínio dos homens na medicina deve permanecer”, conclui a pesquisa.

*Matéria publicada originalmente na Agência Brasil

registrado em: ,