Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Ministério da Justiça abre sindicância para apurar irregularidades na Polícia Rodoviária Federal

Sociedade

Denúncia

Ministério da Justiça abre sindicância para apurar irregularidades na Polícia Rodoviária Federal

por Redação Carta Capital — publicado 29/03/2011 11h35, última modificação 29/03/2011 11h35
Decisão foi tomada pelo ministro José Eduardo Cardozo, após denúncias feitas em reportagem na TV

Decisão foi tomada pelo ministro José Eduardo Cardozo, após denúncias feitas em reportagem na TV

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou nesta segunda-feira 28 a abertura de uma sindicância para apurar a falta de fiscalização em rodovias federais, a prática de atos ilícitos por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o mau uso de recursos da corporação e outras denúncias de reportagens veiculadas no Fantástico, no último domingo 27, e no Bom Dia Brasil, da TV Globo, de segunda-feira 28.

Em nota, Cardozo aceita o pedido de exoneração do diretor-geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Hélio Derenne. No pedido, ele alega “questão de foro íntimo” para o seu desligamento. A portaria com a exoneração de Derene está publicada no Diário Oficial da União de hoje.

A atual superintendente da PRF no Paraná, Maria Alice Nascimento Souza, foi escolhida para assumir o cargo interinamente.

A atuação do ex-superintendente da PRF no Ceará, Ubiratan Roberto de Paula, também será investigada. Ele foi denunciado por pedir “tolerância” na aplicação de multas a parlamentares e autoridades. Ubiratan de Paula também pediu exoneração do cargo, na última quarta-feira 24.

O coordenador-geral de operações da PRF, inspetor Alvarez de Souza Simões, também foi exonerado do cargo. “Em reunião com policiais, gravada em vídeo, ele chamou de firula o envio de integrantes da corporação para operação de combate ao crime no Rio de Janeiro”, diz a nota.

De acordo com o Ministério da Justiça, as denúncias serão enviadas ao Ministério Público e à Controladoria-Geral da União (CGU). No prazo de cinco dias úteis, a diretora interina da PRF deverá apresentar relatório detalhado sobre os fatos mostrados nas reportagens, bem como propor um plano de ação para a instituição.

registrado em: