Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Jornal sem cadernos de anúncios

Sociedade

Pequenas Utopias

Jornal sem cadernos de anúncios

por Milton Nogueira — publicado 10/08/2010 11h48, última modificação 10/08/2010 11h54
Cadernos de anúncios poderiam ser vendidos à parte, para diminuir consumo de papel, na esperança de termos melhores jornais

Raramente lidos, os cadernos de anúncios são inúteis, a não ser quando uma pessoa quer comprar carro, imóvel ou procurar emprego. Eles continuariam a ser impressos e vendidos nas bancas, por um preço simbólico, digamos 10% do preço do jornal, justo para desencorajar o leitor a levar para casa algo inútil. Para que pagar e carregar um quilo de jornal domingueiro, somente para descartar quase tudo no lixo?

Na vida inteira, comprei cinco moradias e quatro autos; nunca procurei emprego por meio de anúncios em jornais. Para cada compra, li durante um ou dois meses os cadernos de anúncios. Mas, durante mais de quarenta anos, carreguei para casa e depois joguei no lixo, sem ler, toneladas de papéis.

Inúmeras árvores, tratadas com adubos e veneno mata-formigas, são usadas para cada bobina de papel de imprensa. As florestas para papel e celulose são plantadas em terras férteis que poderiam, de outra forma, produzir alimentos. Importadas pelo Brasil, as bobinas poluem outros países e acabam no lixo de nossas cidades. Pode-se diminuir seu impacto ambiental e econômico e racionalizar seu consumo. Mas como? Se diminuírem a tiragem de cadernos de anúncios, os jornais consumirão menos papel, menos tinta e menos vans de entrega. O dinheiro que economizarem poderia ser usado para melhorar o conteúdo ou para diminuir o preço, aumentando a circulação.

No mundo todo, os jornais caem nas vendas e não resistem ao assédio da internet, da TV, do celular e da mídia, que trazem informações atualizadas no minuto. Mas eles têm um lugar na sociedade, reconhecido por todos, o de explicar por que as notícias viram notícia, à base dos acontecimentos.

Em resumo, com essa pequena utopia os leitores comprariam um caderno de anúncio somente quando quiser comprar carro, imóvel ou procurar emprego. O meio ambiente seria mais limpo e haveria melhores jornais, talvez mais baratos.

registrado em: