Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Estudantes continuam em ônibus, diz DP

Sociedade

Reitoria da USP

Estudantes continuam em ônibus, diz DP

por Matheus Pichonelli publicado 08/11/2011 08h35, última modificação 09/11/2011 12h22
Em cerca de duas horas, a Polícia Militar (PM) cumpriu nesta terça-feira 8 a ordem judicial de reintegração de posse do prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP)

Segundo informações da 91ª Delegacia de Polícia, os estudantes da USP presos em operação policial na manhã desta terça-feira 8 continuam em ônibus para onde foram levados depois da detenção. Segundo funcionário da carceragem da delegacia, nenhum deles foi encarcerado até o momento. Há advogados no local.

Cerca de 70 alunos foram presos após a Polícia Militar executar a ordem judicial de reintegração de posse do prédio da reitoria da Universidade de São paulo (USP), que há uma semana era ocupado por estudantes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Em reação, alguns estudantes chamaram ato às 10h, em frente a reitoria. Algumas aulas devem ser paralisadas.

Os estudantes detidos terão que pagar uma fiança de 1050 reais para serem liberados. Eles serão autuados em flagrante por desobediência a ordem judicial, dano ao patrimônio público e crime ambiental.

A Polícia Militar (PM) encontrou no local desocupado sete coquetéis molotov, rojões, 5 litros de gasolina, além de pichações nas paredes. “Era um cenário de guerra”, resumiu o major Marcel Soffner, da comunicação da PM

Segundo Diretório Central dos Estudantes da USP (DCE), todas as aulas da instituição foram canceladas nesta terça-feira.

Por volta das 5h20, aproximadamente 400 policiais do Batalhão de Choque tentaram retirar mais de 150 estudantes que estavam no local. Porém, um grupo de 70 estudantes, que estava em uma das salas da reitoria, resistiu à retirada agredindo verbalmente os policiais. Os policiais reagiram tentando conter os alunos.

No último dia 1º, os estudantes ocuparam o prédio da reitoria porque condenam a permanência de policiais militares no campus da universidade. A assessoria da PM informou que, como a ordem judicial foi cumprida, o policiamento normal no campus será mantido hoje. A polícia passou a fazer a segurança da universidade, após a morte de um aluno em uma tentativa de assalto dentro do campus.

De acordo com os policiais, a retirada dos estudantes foi pacífica, mas por volta das 6h alguns alunos resistiram e começaram as agressões verbais. Na segunda-feira 7, os estudantes que estavam acampados na USP decidiram em assembleia manter a ocupação do prédio da reitoria.

A decisão foi tomada minutos antes do prazo dado pela Justiça para a desocupação do prédio, sem o uso de força policial. A ordem para retirada dos universitários foi dada pela juíza Ana Paula Bandeira Lins. Ao mesmo tempo, os universitários querem garantias da USP de que não haverá processo administrativo contra os que ocuparam o prédio da reitoria.

No entanto, há indicações da direção da universidade de que poderão ser abertos processos administrativos contra os responsáveis por depredação do patrimônio da instituição. A administração da USP se comprometeu a incluir os alunos nos debates para aperfeiçoamento do convênio com a Polícia Militar e rever os processos administrativos envolvendo os estudantes e funcionários.

*Com informações da Agência Brasil 

registrado em: , , ,