Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Funai diz não ser responsável por indígenas que ocupam Museu do Índio

Sociedade

Rio de Janeiro

Funai diz não ser responsável por indígenas que ocupam Museu do Índio

por Redação Carta Capital — publicado 17/01/2013 19h12, última modificação 06/06/2015 18h25
Grupo que vive no local, ameaçado de demolição devido a obras da Copa do Mundo, pediu ajuda do órgão para permanecer no prédio

A Fundação Nacional do Índio (Funai) afirmou, em nota, nesta quinta-feira 17 que não é responsável direta pelos indígenas de 17 etnias que ocupam o antigo prédio do Museu do Índio, no Rio de Janeiro. Cerca de 20 famílias estão no prédio ocupado há seis anos e que deve ser demolido para a construção do complexo do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014. O grupo tem pedido ajuda ao órgão para se manter no local.

“A Funai esclarece que a responsabilidade pelas políticas públicas para os cidadãos brasileiros, incluindo indígenas, é do governo como um todo: União, estados e municípios", diz o texto. “A Funai esclarece ainda que não tem como finalidade atender demandas dos indígenas, individualmente, e que não há políticas específicas e diferenciadas para atendimento de índios na cidade."

Os indígenas estão ameaçados de desocupação desde sábado 12, quando a polícia militar cercou o prédio, mas depois recuou. Na quarta-feira 16, o grupo recebeu da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos um documento assinado pelo secretário Zaqueu Teixeira e pelo governador Sérgio Cabral no qual ambos se comprometem a realocar os indígenas. Houve também a promessa de se criar um centro de referência da cultura indígena. Está sendo estudado também a possibilidade de conceder aluguel social às famílias, caso concordem com a saída.

          

O Ministério Público Federal entrou na Justiça na segunda-feira 14 com pedido para impedir a demolição do antigo museu. O Tribunal Regional Federal da 2ª Região julga a reintegração de posse do local por parte do governo do estado.

Os indígenas defendem que o prédio deve ser tombado por seu valor histórico, mas o governo do estado alega que a demolição servirá para melhorar o fluxo de torcedores que irão ao Maracanã na Copa.

O Museu do Índio foi inaugurado em 1953, passando a realizar exposições museográficas e a disponibilizar conteúdo etnológico. No prédio, que pertencia ao Serviço de Proteção aos Índios (SPI), trabalharam Darcy Ribeiro, Eduardo Galvão e Roberto Cardoso de Oliveira.

O Museu continuou funcionando no local até 1977, quando foi transferido para Botafogo.

Com informações Agência Brasil.

registrado em: ,