Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Esse time do Santos...

Sociedade

Futebol

Esse time do Santos...

por Carlos Leonam e Ana Maria Badaró — publicado 25/05/2010 17h26, última modificação 20/09/2010 17h27
Os meninos da Vila lembram aqueles outros dos anos 60

Os meninos da Vila lembram aqueles outros dos anos 60

Não sei, não... Algo me diz que o atual time do Santos vai ser o segundo time do torcedor brasileiro que gosta de futebol. De futebol jogado com alegria, sem brucutus e técnicos retranqueiros ou “burros” (epíteto com que eles são agraciados quando a torcida não aprova).

No século passado, houve uma equipe de futebol assim, que assombrou o mundo e, claro, a torcida brasileira. Como hoje, a do Santos, com Pelé e seus companheiros. Talvez só não alegrasse a do Corinthians. Eles perdiam todas. No máximo, empatavam.

Aquele time do Santos, sobre o qual escrevo, teve no Maracanã o seu maior templo, fanáticos seguidores participaram de liturgias fantásticas. A geração de cariocas, hoje grisalha, se lembra bem dele – como naquele jogo com o Vasco, no qual Fontana debochou de Pelé a partida inteira. Conta o que houve o site Arquivos da Colina:

– Certa feita, no Maracanã, o Vasco ganhava do time da Vila Belmiro por 2 a 0 e a zaga de Brito e Fontana não dava a menor oportunidade ao Rei, que estava visivelmente nervoso. Em jogos anteriores contra o mesmo Vasco da Gama – por quem Pelé confessadamente nutriu uma paixão na infância – o Atleta do Século havia sido expulso e até perdido um pênalti.

Diante da vantagem no placar, Fontana começou a provocá-lo: “Brito, dizem que um rei vinha jogar contra nós, você viu algum rei por aí?” Pelé estava por perto e ouviu tudo. No finalzinho, ao primeiro descuido da zaga, fez um gol. Quando faltavam dois minutos para terminar o jogo, fez o segundo. Não comemorou. Foi ao fundo da rede, pegou a bola e, ao passar por Fontana, a entregou e disse: “É presente para a sua mãe. Diga que foi o rei que mandou”. O tempo fechou. Diz a lenda que, depois, em todo jogo com Pelé e Fontana em campo, o zagueiro dizia para Brito: “Pelo amor de Deus, não mexe com o Crioulo, não”.

Voltando ao assunto: a defesa daquele Santos gostava de complicar as coisas, obrigando o seu ataque a carregar o piano. Se ela levava 3, o ataque fazia 4. Se perdia de 4, o ataque fazia 3. E assim a coisa ia.

Bem, não vou me alongar, pois o paciente leitor, santista ou não, já sacou: esse novo time do Santos, que a crônica resolveu chamar de Os Meninos do Santos, lembra (pelo menos a este escriba) o Santos de Pelé, Coutinho, Pepe, Doval, Zito, Clodoaldo...

Claro que Os Meninos do Santos ainda não são, e talvez nunca sejam, um Santos dos anos 60. Mas que eles me lembram aquele time, lembram. Outro dia, levaram 4, fizeram 3. Quinta-feira, contra o Grêmio, foram três golaços, modelo Futebol-Arte. Talvez tenha faltado o do Neymar. O do Robinho foi um gol de veterano; o do Ganso, um gol, digamos, de Gerson ou Rivelino; o do Wesley, outro garoto bom de boa, que não aparece muito, mas que quando aparece faz um gol daqueles. Tirando o Robinho, a gente só vai vê-los na seleção em 2014. Podia ser agora. Enfim... seja o que Deus quiser, quer dizer, o que Dunga quiser. O que, pelo visto, dá no mesmo.

Soccerex vem aí Convenção mundial de futebol chega ao Rio para fazer negócios
Com a presença de Franz Beckenbauer e a Comissão Organizadora da Copa do Mundo da África do Sul, será realizada no Rio, de 20 a 24 de novembro, no Forte de Copacabana (hoje um dos mais disputados centros de eventos da cidade), a Soccerex Global Convention.

A Soccerex é a líder mundial de negócios do futebol. Por meio de 23 eventos em 5 continentes nos últimos 15 anos, a Soccerex reuniu nada menos que 24 mil pessoas ligadas ao futebol com o objetivo de discutir, aprender, se relacionar e fazer transações comerciais. A Convenção Mundial é o principal evento da Soccerex e faz parte do portfólio da empresa, que também organiza feiras regulares na Ásia e na Europa.
Depois de três anos bem sucedidos na África do Sul, sede da próxima Copa do Mundo Fifa 2010, a Soccerex Global Convention será realizada no Rio de Janeiro pela primeira vez, já tendo em vista a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Aqui a Soccerex englobará também um evento de dois dias na praia de Copacabana: o Football Festival, onde jovens talentos brasileiros serão acompanhados por lendas do futebol, da música e da cultura para um torneio de futebol de praia. Em seguida, a conferência será realizada em três dias, com feira de produtos e serviços e encontros de relacionamento entre as principais figuras do futebol mundial. A parte social não será esquecida: a Soccerex Sugar Loaf Extravaganza será uma festa memorável
no Pão de Açúcar, tendo entre os convidados, dirigentes, técnicos e atletas do futebol internacional.