Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Descontos com corte de ponto de servidores em greve chegam a R$ 20,7 milhões

Sociedade

Descontos com corte de ponto de servidores em greve chegam a R$ 20,7 milhões

por Agência Brasil publicado 23/08/2012 10h24, última modificação 06/06/2015 18h18
No total, 8.079 funcionários públicos foram atingidos pela medida

Luciene Cruz
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O corte de ponto determinado pelo governo federal atingiu 11.495 servidores que paralisaram as atividades no mês de julho. O número equivale a cerca de 2% dos 571.875 servidores do Executivo que estão na ativa. O valor total dos descontos chega a 20,7 milhões de reais. Os dados foram divulgados na quarta-feira 22 pelo Ministério do Planejamento.
Segundo o documento, as paralisações atingiram “predominantemente” os órgãos da administração indireta, como agências reguladoras, entidades vinculadas, fundacionais e autarquias. No total, 8.079 servidores públicos tiveram o ponto cortado. Na administração direta, 3.416 funcionários terão os dias descontados na folha de pagamento.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi o que teve o maior número de servidores em greve. O movimento atingiu 52,4% do quadro, totalizando 3.379 funcionários. Na sequência, aparecem a Comissão Nacional de Energia Nuclear e Agência Nacional do Cinema, com 40,5% e 39,4% dos funcionários paralisados, respectivamente.
Entre as dez áreas com maior percentual de grevistas, oito são de agências reguladoras. As paralisações mobilizaram 2.420 servidores. A greve atingiu 33% do quadro de funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com 666 servidores.
Também encabeçam a lista de corte de ponto, os servidores da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que totalizaram, 31,8% e 36,5% com os serviços parados, nessa ordem. Em números absolutos, a greve deve a adesão de 501 e 365 servidores, respectivamente.
O comunicado ressaltou ainda que os servidores de universidades e institutos federais ficaram de fora do cálculo e “estão em processo de volta ao trabalho e negociação para reposição dos dias parados”.

*Matéria originalmente publicado na Agência Brasil

registrado em: ,