Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Brasileiros sem conta em banco movimentam R$ 665 bilhões

Sociedade

Data Popular

Brasileiros sem conta em banco movimentam R$ 665 bilhões

por Redação — publicado 08/05/2013 16h00, última modificação 08/05/2013 17h10
Quase 55 milhões de pessoas, a maioria nas regiões Norte e Nordeste, não guardam suas reservas em instituições bancárias, segundo estudo
banco

Brasileiros desbancarizados são responsáveis por movimentar 665 bilhões de reais ao ano. Foto: Greg Wood/ AFP

Uma pesquisa do Instituto Data Popular divulgada nesta quarta-feira 8 revela que mais de um terço da população brasileira não possui conta em banco e, apesar disso, movimentam 665 bilhões de reais ao ano. O estudo, realizado entre fevereiro e março deste ano, revelou que 55 milhões de brasileiros não guardam suas reservas em bancos, sendo que as regiões Norte (50%) e Nordeste (53%) possuem as maiores populações de desbancarizados.  “O que surpreende é que, por mais que o processo de bancarização tenha crescido, quase 40% da população ainda não possui conta corrente ou poupança, e esse número é ainda maior nas classes mais baixas“, diz o diretor do instituto, Renato Meirelles.

Umas das razões para os brasileiros não terem conta reside na dificuldade de acesso ao sistema bancário. Os principais prejudicados com essa situação, segundo Meirelles, são as pessoas que vivem em cidades do interior, com pouca oferta de agências.

Além disso, pessoas de baixa renda e que possuem empregos informais também não têm acesso à rede. De acordo com o estudo, quase metade dos não-bancarizados (44%) não trabalha - 17% são donas de casa, 7% são aposentados e 20% se dividem igualmente entre desempregados e estudantes.

Outro dado apontado pela pesquisa revela que 6 em cada 10 brasileiros sem conta em banco são negros e 68% têm ensino fundamental ou não são alfabetizados.

Por conta disso, Meirelles defende que os bancos precisam se adequar a essa parcela da população que está excluída de seu sistema. “O desafio dos bancos é adequar sua capilaridade, sua oferta de serviços e seu discurso para os 55 milhões de brasileiros que hoje não enxergam nas instituições financeiras uma solução para as suas demandas “ explica.

Em geral, a maior parte das pessoas não-bancarizadas é formada por mulheres (60%) com idade entre 25 e 59 anos. A pesquisa ressalta que também não usufruem do sistema bancário pessoas que estão inadimplentes ou que enxergam desvantagens no pagamento de taxas e no excesso de crédito oferecido pelos bancos.

registrado em: