Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / As manifestações pelo Brasil em 20 de junho

Sociedade

Mobilização

As manifestações pelo Brasil em 20 de junho

por Redação — publicado 20/06/2013 17h24, última modificação 20/06/2013 22h13
Confira como foram os protestos pelo País
Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
brasilia-1.jpg-4730.html

Em Brasília, polícia e manifestantes entraram em confronto

CartaCapital acompanhou em tempo real as manifestações que ocorrem pelo Brasil nesta quinta-feira 20. Houve ações em ao menos 100 cidades. Em São Paulo, mais de 100 mil pessoas se reuniram na região da Avenida Paulista. No Rio de Janeiro, foram cerca de 300 mil.

Houve confrontos entre manifestantes e a polícia em Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Fortaleza, entre outras cidades.

Confira abaixo como foram os protestos pelo Brasil.

 

22h10 – BRASÍLIA – Um grupo colocou fogo em um container de lixo próximo a uma tenda na Esplanada. Algumas pessoas incendeiam galhos de árvores e jogam na tenda. Uma caçamba foi incendiada em frente ao Ministério da Saúde. O Corpo de Bombeiros não consegue chegar ao local, que está bloqueado por manifestantes. São 31 feridos na cidade. As informações são do jornal Correio Braziliense.


21H57 - BRASÍLIA - Após protestos reunirem milhares de pessoas em todo o Brasil, a presidenta Dilma Rousseff convocou uma reunião de emergência para a manhã de sexta-feira 21, segundo o jornal Folha de S.Paulo. A mandatária quer discutir com seus principais ministros os efeitos dos protestos.

Dilma quer se inteirar da dimensão das manifestações pelo Brasil para saber como o governo deve agir em relação aos protestos e às demandas dos manifestantes.

21h46 - PORTO ALEGRE – Houve confrontos entre manifestantes e a Tropa de Choque. A PM lançou bombas de gás e os manifestantes jogaram pedras contra os policiais. Por volta de 20h30, um pequeno grupo atacou lojas da Avenida Azenha até que a PM avançasse sobre a região. A maior parte dos manifestantes protesta pacificamente na Avenida João Pessoa. As informações são do jornal Zero Hora.

21h40 - SÃO PAULO - Segundo a PM, cerca de 1 mil pessoas estão em frente à Assembleia Legislativa. Não há conflitos na região.

21h35 - RIO DE JANEIRO - Imagens da GloboNews mostra manifestantes destruindo uma cabine da PM no centro da cidade. Há correria nas ruas próximas ao local. A Tropa de Choque está na região.  

21h32 - FORTALEZA - Segundo o Diário do Nordeste, manifestantes invadiram o Palácio da Abolição, sede do governo do Ceará. Eles quebraram vidros e a PM lançou bombas de gás lacrimogêneo e usou balas de borrachas contra a multidão. A PM diz ter identificado mais de 10 coquetéis molotov com os manifestantes. Um policial foi ferido.

21h28 - BRASÍLIA – Ao menos uma pessoa foi detida e cinco ficaram feridas. Três são policiais, um jornalista e dois manifestantes.

21h26 - NITERÓI (RJ) – A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) emitiu nota condenando o ato de violência contra um repórter da Agência Brasil que fazia a cobertura de manifestação em Niterói na quarta-feira 19.


O jornalista Vladimir Platonow foi agredido por seguranças do Terminal Rodoviário Presidente João Goulart, no centro da cidade, na região metropolitana do Rio. Ele registrava, com uma câmera, a correria de manifestantes, que tentavam fugir de perseguições policiais no local. Vladimir contou que foi agredido com socos e chutes, mesmo após ter se identificado como jornalista e informar que estava cobrindo a manifestação. "A EBC defende que seus profissionais devem ser respeitados e jamais impedidos do livre exercício do jornalismo", diz a nota.


A assessoria de imprensa do Consórcio Teroni, que administra o terminal, informou que as fotos feitas pelo repórter registrando os agressores foram analisadas e negou que eles sejam funcionários da concessionária. Disse ainda que o consórcio é contra atitudes violentas.


21h23 - RIBEIRÃO PRETO (SP)
– Segundo o portal G1, uma pessoa morreu e 12 ficaram feridas após serem atropeladas por um carro SUV durante os protestos. Nove vítimas foram socorridas pelo SAMU e duas receberam atendimento no local. O motorista fugiu sem prestar socorro e ainda não foi localizado.

21h20 – FLORIANÓPOLIS – As pontes Colombo Machado Salles e Pedro Ivo Campos ainda estão fechadas, mas a multidão começa a se dispersar aos poucos. A PM estima em 20 mil o número de manifestantes na cidade. Por volta de 20h30, um homem caiu da Ponte Colombo Salles de uma altura de 10 metros. Ele foi socorrido pelos bombeiros e levado ao Hospital Celso Ramos. Segundo a PM, ele está consciente.

21h07 - BRASÍLIA - Segundo o jornal Correio Braziliense, ao menos 100 fuzileiros navais chegaram ao salão do Itamaraty para reforçar a segurança do prédio do Ministério das Relações Exteriores. Cerca de 100 manifestantes estão ao redor de uma fogueira feita com cartazes e cones no canteiro central da Esplanada, próximo ao Itamaraty.

21h03 - FORTALEZA - Manifestantes chegam ao Palácio da Abolição, sede do governo do Ceará, e pedem a presença do governador Cid Gomes (PSB). Algumas pessoas tentaram entrar no prédio, mas foram impedidos por manifestantes. As informações são do Diário do Nordeste.

20h56 - CAMPINAS (SP) - Uma jovem de aproximadamente 20 anos desmaiou no meio da multidão na Avenida Anchieta, em frente a prefeitura, por volta das 20h, depois de inalar gás de pimenta. Manifestantes pediram socorro, pois ela parecia convulsionar. O momento em que a moça desmaiou foi flagrado por Cleber Gonçalves, que acompanha o ato. A reportagem não flagrou nenhuma SAMU nas mediações, desde o inicio da passeata, às 17h.

No momento da confusão, manifestantes começaram a gritar "Fora PM", "Fora PM". Helicópteros não param de sobrevoar a região central da cidade. Muitas pessoas inalaram gas de pimenta emitidos pela polícia e passaram mal, principalmente quem estava na avenida General Osório, que dá acesso à prefeitura. (Por Amanda Cotrim)

 

 

20h37 - CAMPINAS (SP) - A Tropa de Choque volta a lançar bombas de gás para dispersar os manifestantes da frente do prédio da prefeitura. A polícia tenta retirar as pessoas da escadaria do prédio. Há correria nas ruas.

20H35 - BRASÍLIA - PM retira manifestantes do Itamaraty, que lança bombas de gás lacrimogêneo para evitar a invasão do prédio do Ministério das Relações Exteriores. Há focos de incêndio nas próximidades do prédio. Até então, a polícia de Brasília havia evitado usar bombas de gás.

20h26 - BRASÍLIA – De acordo com o jornal Correio Braziliense, manifestantes invadiram o prédio do Itamaraty após quebrarem vidraças do prédio. Há um foco de incêndio em uma das pilastras do prédio. A polícia tenta afastar os manifestantes. No prédio, funciona o Ministério das Relações Exteriores.

20h15 - SÃO PAULO – Twitter da PM (

20h05 - BRASÍLIA – Segundo o jornal Correio Braziliense, há tensão em frente ao Congresso Nacional. Há muita fumaça devido às fogueiras acesas pelos manifestantes que queimam cartazes. A PM aumentou o uso de spray de pimenta para que os manifestantes se afastassem do espelho d'água. Manifestantes usam sinalizadores no gramado do Congresso.

20h – SALVADOR - Segundo o portal G1, dois micro-ônibus da Fifa foram apedrejados em frente ao Hotel da Bahia, em Campo Grande. A PM e manifestantes entraram em confronto em frente ao teatro Castro Alves, onde há bombas de gás sendo lançadas pela polícia. Manifestantes colocaram fogo em objetos na rua. A Cavalaria e a Tropa de Choque estão no local. Um ônibus foi incendiado na Rua João das Botas, no centro.

19h35 – CAMPINAS (SP) – Tropa de Choque e a Guarda Municipal lançam bombas de gás contra manifestantes que tentam se aproximar da prefeitura. Há cerca de 15 mil pessoas nos protestos pela cidade.

19h53 - RIO DE JANEIRO - Imagens da TV Globo mostram carro do SBT pegando fogo.

19H46 - PORTO ALEGRE - Manifestantes iniciaram a concentração em frente à prefeitura e se dividiram em dois grupos. Ainda não há estimativas oficiais de quantas pessoas estão nos atos.

19h44 – RIO DE JANEIRO – Polícia reprime com violência manifestantes próximo à prefeitura. São lançadas bombas de gás e balas de borracha. Pedro Vedova, jornalista da GloboNews, foi atingido por uma bala de borracha na testa. Há focos de incêndio no meio da rua. 

19h43 – MANAUS – Um adolescente foi esfaqueado e dois ônibus apedrejados no protesto que reúne mais de 30 mil pessoas no centro da capital amazonense. A concentração começou às 18h em frente ao Teatro Amazonas e já toma ao menos cinco avenidas principais da região.  As informações são do jornal O Globo.

19h40 – RIO DE JANEIRO – Cerca de 300 mil pessoas estão em frente à Prefeitura, segundo cálculos de especialistas da Coordenação de Programas de Pós Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

19h37 – SÃO PAULO - Segundo o Datafolha, havia 70 mil pessoas na Avenida Paulista às 19h.

19h35 – BRASÍLIA - Segundo o jornal Correio Braziliense, um jovem foi ferido na cabeça após ser atingido por um cassetete da PM. Manifestantes jogaram um rojão contra a polícia que reagiu com spray de pimenta e cassetete. Minutos antes, um grupo forçou a barreira policial, próximo ao Palácio da Justiça. A polícia estima em 30 mil pessoas no protesto em frente ao gramado do Congresso.

19h30 – RIO DE JANEIRO – Imagens da GloboNews mostram um grupo de manifestantes carregando uma pessoa ferida no rosto confronto com a PM nas proximidades da prefeitura. Os manifestantes buscam atendimento médico para o ferido.

19h20 – CAMPINAS (SP) - Clima de terror toma conta das ruas. Enquanto uma passeata acontecia de forma pacífica pela Avenida Francisco Glicério, no centro da cidade, um grupo seguia para a Avenida Anchieta, onde fica a prefeitura. Neste trecho, manifestantes tentaram invadir a prefeitura. Por volta das 18h30, uma multidão começou a correr pela rua General Osorio (travessa da Anchieta) e gritar "sem violência", enquanto bombas eram explodidas. Neste momento, helicópteros da PM sobrevoam a região.


De acordo com a PM, já chega a 15 mil pessoas no ato. Entre as bandeiras levantadas: melhora do transporte público, redução do lucro dos empresários de transporte, investimento em saúde e educação, além de protestos contra a PEC 37 e o deputado Marco Feliciano. O clima no momento é tenso.  (Por Amanda Cotrim)

19h21 – RIO DE JANEIRO – PM continua lançando bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes próximo à Prefeitura. Algumas pessoas se protegem com tapumes encontrados na rua. Imagens da GloboNews mostram policiais em um carro blindado atirando bombas contra manifestantes. Membros do protesto tentam se reaproximar da sede do governo municipal.

19h16 – SÃO PAULO – Imagens da GloboNews mostram jovens ligados a partidos políticos sendo intimidados na Avenida Paulista. Houve registros de algumas brigas na região.

19h15 - RECIFE – 100 mil pessoas estão no protesto que parou o centro do Recife, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS).

19h11 - RIO DE JANEIRO – Segundo a GloboNews, manifestantes colocam fogo em objetos no meio de uma rua próxima à prefeitura. A PM lançou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes para dispersar a multidão. A cavalaria está no local.

19h04 – RIO DE JANEIRO – Segundo a GloboNews, a PM lançou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes próximos à Prefeitura. A PM está com cavalaria.

18h58 – SÃO PAULO – Juventude do PT, integrantes da CUT, do MST e da UGT foram hostilizados na Avenida Paulista. Outros manifestantes xingaram o grupo e atiraram uma garrafa contra ele. Membros da juventude do PT gritaram: “Sem fascismo!” e “todo mundo está unido pela tarifa e não contra os partidos”. Houve momentos em que os manifestantes ficaram mais agitados contra os “partidários”.  (Por Tory Oliveira, da Carta na Escola)

18h53 – SÃO PAULO - Ala LGBT leva boneco de Marco Feliciano à passeata de São Paulo e grita palavras de ordem contra a "Cura gay".

18h52 – SÃO PAULO - Membros do grupo de Facebook “Revoltados On Line” estão caminhando alguns metros à frente da "comissão de frente oficial" da passeata em São Paulo, com uma faixa atacando o ex-presidente Lula. Pelo Facebook, o grupo tentou fazer sua a manifestação do Movimento Passe Livre, ao convocar um ato pela “redução dos salários dos políticos” para o mesmo horário e local do MPL.


18h41 – BELÉM – Já são cerca de 15 mil pessoas no protesto na capital do Pará. A manifestação saiu da Praça Santuário e segue rumo à Prefeitura. Segundo o G1, o prefeito Zenaldo Coutinho tentou dialogar com os manifestantes em frente à prefeitura, mas algumas pessoas atiraram pedras contra ele. Um guarda municipal ficou ferido. Explosões ocorreram na região, gerando correria.

18H37 - BRASÍLIA - Ainda há muita tensão na cidade. Manifestantes chegaram a jogar três bombas contra os policiais militares e foram reprimidos por outros manifestantes, segundo o jornal Correio Braziliense.

18H29 – SALVADOR – Segundo o portal G1, a PM tenta cercar os manifestantes, que ateiam fogo em objetos. Na Avenida Centenário, um ônibus foi incendiado.

18h27 - FORTALEZA - Manifestantes tentam impedir bandeiras de partidos políticos na Praça Portugal, onde ocorre a concentração do protesto na capital cearense. Na cidade, a Assembleia Legislativa já se prepara para receber os manifestantes colocando tapumes e barreiras na Avenida Desembargador Moreira. As informações são do jornal Diário do Nordeste.

18h13 - SÃO PAULO - Após anúncio da revogação do aumento das passagens do transporte público de R$ 3,20 para R$ 3, protesto em São Paulo reúne 10 mil pessoas, segundo a PM. Na terça-feira 18, foram cerca de 65 mil e na quarta-feira, 50 mil.

18h09 - BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), informou no Plenário que pretende receber, representantes do movimento popular que realiza manifestação. "O Congresso Nacional é a representação política da sociedade e continuará aberto, conversando e decidindo naquilo que lhe couber e caracterizar o interesse nacional", disse Renan segundo a Agência Senado.

18h02 - Em Florianópolis, São Paulo e Rio de Janeiro, pelo menos, há relatos de hostilidade a integrantes de partidos políticos.

17h59 - RECIFE - A PM estima que 50 mil pessoas estejam no protesto que acontece no centro. Os manifestantes pedem melhorias no transporte público da cidade. Na terça-feira 18, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) anunciou uma queda de 10 centavos no valor das passagens de ônibus da capital e da região metropolitana.

17h57 - BRASÍLIA - Segundo a GloboNews, manifestantes estão se aproximando do Palácio do Planalto, sede da Presidência e área restrita, de segurança nacional. A Tropa de Choque da Polícia Militar se prepara para entrar em ação e barrar os manifestantes.

17h48 - RIO DE JANEIRO - Milhares de pessoas estão ocupando as faixas da avenida Presidente Vargas, em frente à Igreja da Candelária, ponto de encontro no centro da cidade

17h46 - FORTALEZA: Cerca de 4 mil pessoas participam do protesto, segundo a PM. Os manifestantes estão concentrados na Praça Portugal, de onde devem partir para a Assembleia Legislativa.

17h36 - RIO DE JANEIRO: A Polícia Militar do Rio de Janeiro vai distribuir 20 mil panfletos pedindo paz aos participantes da manifestação desta quinta-feira 20. O texto pede: “Sem violência, paz. Ajude-nos a proteger você. Afaste-se dos que insistem em vandalizar uma manifestação pacífica”. O panfleto também traz explicações dobre a posição da PM com relação às manifestações. “A Polícia Militar não reprime manifestações nem é contra a liberdade de expressão, mas tem como maior valor a proteção à vida. Sua atuação tem a finalidade de manter um princípio básico da democracia: a convivência pacífica”. (Da Agência Brasil)

17h30 - BELÉM: Segundo a PM, mais de cinco mil pessoas participam da manifestação na capital paraense. O ato partiu da Praça Santuário, em Nazaré, e segue para a Prefeitura. A PM destacou 800 agentes para acompanhar o protesto.

17h28 - CAMPINAS (SP): Entre 8 e 10 mil pessoas participam do protesto na terceira maior cidade de São Paulo, segundo a PM.

17h24 - FLORIANÓPOLIS - Manifestantes vaiam pessoas que estão nos protestos com bandeiras de partidos. Manifestantes com bandeiras do PCdoB, PSTU e PT fazem discurso no Terminal de Integração do Centro (Ticen) com carros de som. As informações são do Diário Catarinense.

17h19 - SÃO PAULO - Segundo o tenente-coronel Marcelo Pignatari, da Polícia Militar, o efetivo na avenida Paulista é de cerca de mil policiais, um efetivo maior que na manifestação anterior. A intenção é "evitar o que aconteceu na terça-feira".

(por Piero Locatelli)

17h15 - SÃO PAULO - Na avenida Angélica, nas cercanias da avenida Paulista, menos de 100 manifestantes se reúnem para a "onda vermelha", como ficou conhecida a manifestação em apoio a Dilma convocada pelo Diretório Municipal do PT. Muitas pessoas vestem vermelho e estão com camisas da CUT e do PCdoB. Jeofafa Fernandes, militante do do PCdoB 49 anos diz que o partido não é contra MPL e que é um direito dos partidos políticos estar na rua. "O outro momento em que aconteceu isso [serem banidos] com os partidos políticos foi no golpe militar que durou 21 anos". Apesar de apoiar o PT, disse Fernandes, ele considera a postura do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, "horrível", um "dueto lamentável Alckmin".

(por Piero Locatelli)

17h10 - SALVADOR - Segundo o jornal Correio, por volta de 16h50, a polícia de Salvador lançou bombas de gás lacrimogêneo contra manifestantes que tentavam se aproximar da Arena Fonte Nova, que recebe o jogo Nigéria e Uruguai nesta quinta-feira 20, às 19h. A partida é válida pela Copa das Confederações. Uma barreira da Tropa de Choque impede a passagem dos manifestantes. A cavalaria da Polícia Militar foi acionada.

17h00 - SÃO PAULO - Na Praça do Ciclista, na avenida Paulista, local da concentração das manifestações em São Paulo, há militantes do Psol, com uma pequena bateria. Eles são hostilizados por parte dos manifestantes com gritos de "Vai pra Cuba" e "Vai pra Venezuela"

(por Piero Locatelli)