Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Passo a passo: manifestantes voltam às ruas contra preço das passagens

Sociedade

Mobilização

Passo a passo: manifestantes voltam às ruas contra preço das passagens

por Redação — publicado 18/06/2013 17h57, última modificação 18/06/2013 22h39
CartaCapital acompanha os atos programados para acontecer em São Paulo, Florianópolis e outras cidades do País
Mídia NINJA
são paulo ninja

Prefeitura de São Paulo cercada por manifestantes. Sexto ato contra o aumento do transporte reúne milhares de pessoas nessa terça-feira

Diversas cidades no Brasil serão palco de manifestações contra o aumento do preços das passagens do transporte público nesta terça-feira 18. Além de São Paulo, epicentro dos protestos que realiza o sexto ato contra as tarifas, há eventos programados para acontecer em Florianópolis (SC), Maringá (PR)Ribeirão Preto (SP)São Gonçalo (RJ) e Nova Iguaçu (RJ).

CartaCapital acompanha ao vivo as manifestações pelo Brasil.

Tem informações, fotos e vídeos sobre os atos? Mande para o nosso perfil no Twitter: @cartacapital

22h37 - Encerramos o acompanhamento dos protesto contra o aumento das tarifas de ônibus em São Paulo e outras cidades do País. Obrigado pela participação e pelo envio de informações. Acompanhe a cobertura completa das manifestações programadas para a quarta-feira 19.

22h36 - No momento, não há mais aglomeração de manifestantes em frente à prefeitura. A maior parte dos ativistas deslocou-se para a região da Avenida Paulista

22h34 - Manifestantes e a Tropa de Choque da Polícia Militar (PM) entraram em confronto em frente ao prédio da prefeitura de São Paulo. Bombas de gás foram atiradas na direção dos ativistas, diz a Agência Brasil

22h21 - Após registros de saques e depredações no Centro, a Tropa de Choque chega à região. A situação volta a ficar tensa. Ao menos oito pessoas foram detidas.

22h18- Na Avenida Paulista, um grupo tentou subir no topo da cobertura de um ponto de ônibus em frente ao MASP. Os manifestantes gritaram: “Desce! Sem vandalismo!”. O grupo se retirou. (Por Gabriel Bonis, de CartaCapital)

21h55 - Em São Paulo, são dois movimentos paralelos. Na avenida Paulista, totalmente ocupada, um clima de paz e amor. No centro, lojas de roupas e de celulares são saqueadas.

21h52 - Na Paulista, manifestantes gritam: "Brasil, vamos acordar. Um professor vale mais do que o Neymar"

21h47 - Imagens da Band News mostram lojas de telefonia celular sendo saqueadas no centro de São Paulo.

21h37 - Em São Paulo, segundo informações do portal UOL, homens da Tropa de Choque da PM chegam à área onde há depredações e saques no centro da capital.

21h35 - Até agora, seis foram presos por saque de roupas no centro de SP: Lojas Marisa e Americanas foram alvos.

21h28 - Segundo o Diário Catarinense, os manifestantes começaram a deixar as pontes as Pontes Colombo Salles e Pedro Ivo Campos, em Florianópolis, rumo ao Continente. Elas haviam sido ocupadas por volta de 20h15. A PM fechou o trânsito nas duas pontes e depois liberou a passarela de pedestres da Ponte Pedro Ivo aos motociclistas. A PM acompanha o ato sem interferir.

21h20 - Em São Paulo, força tática está cercando a Praça do Patriarca.

21h10 - Em São Paulo, um carro da TV Record foi incendiado por manifestantes agora há pouco em frente à Prefeitura. Um grupo também pôs fogo em uma base da PM na praça do Patriarca, e uma agência do Itaú foi depredada. (com informações da TV Record e do UOL)

21h05 - Em São José do Rio Preto (SP), as estimativas são de que mais de 9 mil pessoas estão nas ruas nesse momento.

20h55 - Faz mais de uma hora que os manifestantes não param de passar pela Paulista. Ocupam as duas faixas e andam rápido. A impressão é a de que o protesto na capital paulista pode ser ainda maior do que o de ontem.

20h50 - Em Florianópolis Já são mais de 10 mil pessoas (segundo a PM). Ato segue em direção às pontes que ligam a Ilha ao Continente.

20h31 - A cidade de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, também foi palco de protestos nesta terça-feira 18. Segundo o Diário Catarinense, manifestantes protestaram contra a corrupção, a PEC 37 (que limita a atuação do Ministério Público), os gastos nas copas do Mundo e das Confederações e os escassos investimentos em saúde, educação e segurança.

20h21 - Na capital de Santa Catarina, segundo o Diário Catarinense, parte dos manifestantes quer ir para a Casa D'Agronômica, residência oficial do governador do Estado, na Avenida Beira-Mar Norte.

20h19 - Em São Paulo, a passeata passa pela avenida Paulista há meia hora. Neste momento, o ato ganhou mais corpo, com novos adeptos.

(Por Lino Bocchini, de CartaCapital)

20h17 - Em Florianópolis, moradores de prédios da avenida Mauro Ramos jogaram ovos nos manifestantes que passaram por ali, de acordo com o jornal Diário Catarinense.

20h10 - No centro de São Paulo, um carro da TV Record foi incendiado em frente à prefeitura, no centro.

20h00 - Outros, que estavam no centro e caminham em direção à Paulista pelas ruas Martins Fontes e Augusta, passaram por prédios com bandeiras brancas na janela.

(Por Ricardo Rossetto, de CartaCapital)

19h59 - Os manifestantes, que sobem pela avenida Brigadeiros Luís Antônio, tomaram a avenida Paulista de ponta a ponta.

(Por Lino Bocchini, de CartaCapital)

19h51 - Na avenida Paulista, o protesto bloqueou as duas pistas.

19h46 - Um grupo de manifestantes fez um cordão humano em frente ao prédio da prefeitura de São Paulo para tentar evitar que a sede do Executivo municipal seja depredada por um grupo mais radical. Eles pedem que a manifestação transcorra sem violência.

19h42 - Manifestantes chegam à avenida Paulista, em São Paulo, no sexto ato contra o aumento da tarifa do transporte público.

19h36 - Em São Paulo, parte dos manifestantes segue do centro da cidade em direção à avenida Paulista.

19h34 - Em Florianópolis, segundo a Polícia Militar local, já são 5 mil os manifestantes. O principal grito de ordem é: "Não é ladainha, essa tarifa está mais cara que a tainha". O protesto está na avenida Mauro Ramos, rumo à Av. Beira-mar Norte.

19h23 - Manifestantes na capital paulista gritam em frente à prefeitura: "Ei, Fifa, paga a minha tarifa!".

(Ricardo Rossetto, de Carta Capital)

19h12 - Em frente à prefeitura de São Paulo, manifestantes queimaram um boneco do prefeito Fernando Haddad.

19h04 Manifestantes tentam invadir a prefeitura de São Paulo, no centro da cidade. Em confronto com as forças de segurança, eles jogam as grades de proteção na porta do edifício. A Guarda Municipal tenta evitar que manifestantes entrem no segundo andar do prédio.

18h50 - Parte dos manifestantes chegou à Prefeitura de São Paulo e tentou entrar no prédio. A Guarda Civil Metropolitana tentou conter a ocupação e o clima ficou tenso. Vidros foram quebrados e objetos, arremessados contra os guardas.

18h47 - Em Cotia, na região metropolitana de São Paulo, 2 mil pessoas estão fechando a avenida Raposo Tavares neste momento, na altura do terminal de ônibus de Cotia. PM negocia pra liberar a pista.

18h43 - Em São paulo, um grupo de cerca de 5 mil pessoas (segundo informações do organizador Matheus Prei, ligado ao MPL), segue para a Avenida do Estado, informa o repórter Ricardo Rossetto.

18h40 - Em Florianópolis, 2 mil manifestantes, segundo a PM, estão concentrados no Terminal Integrado do Centro (Ticen) e proximidades, logo na entrada da Ilha.

18h27 - Em Belo Horizonte, manifestantes realizam assembleia debaixo do viaduto Santa Tereza. Só deve acontecer marcha na quinta-feira 20.

18h17 - A manifestação em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, reúne 5 mil pessoas. O comércio foi fechado e a prefeitura encerrou mais cedo o expediente, segundo o G1.

18h14 - Em São Paulo, manifestantes se dividem: parte ainda segue em direção à Prefeitura e parte, em direção ao Parque Dom Pedro.

18h12 - Em Belo Horizonte, um manifestante se feriu gravemente após cair de um viaduto próximo à UFMG, de acordo com a TV Bandeiras. Ele sofreu fratura exposta e foi encaminhado a um hospital da região.

18h09 - Militantes de partidos políticos estão sendo, neste momento, expulsos do ato na Praça da Sé, de acordo com o perfil no Facebook de Plínio de Arruda Sampaio. "Negar a participação de determinados grupos em manifestações abertas não tem outro nome senão autoritarismo", disse o ex-candidato à Presidência.

18h - Parte dos manifestantes já chegou à Prefeitura de São Paulo.

17h55 - Equipe da Globo (com Caco Barcelos) foi hostilizada por manifestantes (com gritos, sem violência física), não conseguiu gravar e se refugiou em um bar.

17h40 - Em São Paulo, cerca de dez mil pessoas se concentram na Praça da Sé, na região central da capital paulista, para retomar a mobilização. Eles seguem em direção à prefeitura, também na região central (foto: Mídia Ninja).