Você está aqui: Página Inicial / Saúde / Quase toda mulher vivendo com HIV e Aids no Brasil já sofreu algum tipo de violência, aponta pesquisa

Saúde

Aids

Quase toda mulher vivendo com HIV e Aids no Brasil já sofreu algum tipo de violência, aponta pesquisa

por Agência Aids — publicado 16/12/2010 12h15, última modificação 16/12/2010 12h15
A organização não governamental Gestos promove nesta quinta e sexta-feira um evento em Recife para discutir o assunto

A organização não governamental Gestos promove nesta quinta e sexta-feira o II Encontro “Mulheres e Gestores: Fortalecendo as Ações de Enfrentamento à Aids no Nordeste.” O evento, que acontece no Recife, vai reunir mulheres vivendo com o vírus, ativistas, profissionais de saúde e gestores de programas na área da aids de todos os nove estados nordestinos.
Um dos destaques do evento será a apresentação do capítulo “Brasil”, da pesquisa "Duas caras de uma mesma realidade: Violência contra as mulheres e feminização do HIV/AIDS", desenvolvida pela Gestos em parceria com a Fundación Para Estúdio e Investigación de la Mujer (FEIM – Argentina), a Fundación Popular em Salud (EPES - Chile) e a Mujer Salud em Uruguay (MYSU).
A pesquisa avalia o problema da violência e sua relação com o HIV e aids no Brasil, Uruguai, Chile e Argentina. Segundo os dados nacionais, 97,5% das brasileiras soropositivas já sofreram algum tipo de violência ao longo de suas vidas, tendo 79,2% dos casos ocorridos antes do diagnóstico do HIV.
Estima-se que cerca de 630 mil pessoas estão infectadas pelo HIV no país, sendo 34,9% delas do sexo feminino. Ainda que em menor número quando comparados com os homens, os dados divulgados no último relatório do Unaids, em novembro, mostra que a proporção de mulheres infectadas para cada homem com aids passou de 6, em 1989, para 1,6, no ano passado.
De acordo com o Mapa da Violência no Brasil 2010, de 1997 a 2007, 10 mulheres foram assassinadas diariamente no Brasil, totalizando 41.532 vítimas de homicídio para um índice de 4,2 assassinadas por 100 mil habitantes.
Nos países europeus, o índice de assassinato de mulheres é de 0,5 por 100 mil habitantes. Em Pernambuco, 290 mulheres foram assassinadas em 2009. Isto corresponde a cerca de 4 mulheres a cada 5 dias.
O evento contará com apresentações do coordenador do Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV e AIDS (Unaids), Pedro Chequer; da assessora para HIV e Aids do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Angela Donini; e da livre docente em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) Wilza Vilela.
Serviço: II Encontro entre Mulheres e Gestores: Fortalecendo as Ações de Enfrentamento à Aids no Nordeste
16 e 17 de dezembro, das 8:30h às 18h
Hotel Jangadeiro – Av. Boa Viagem, 3114 – Boa Viagem – Recife – PE
Redação da Agência de Notícias da Aids
Dicas de entrevista
Integrantes da ONG Gestos:
Milly Rodrigues – (0XX81) 8785-5827
Jair Brandão – (0XX81) 8828-2656
* Matéria originalmente publicada pelo Agência Aids