Você está aqui: Página Inicial / Saúde / Produtor alemão da talidomida pede perdão, 50 anos depois

Saúde

Retirada do mercado em 1961

Produtor alemão da talidomida pede perdão, 50 anos depois

por AFP — publicado 01/09/2012 10h46, última modificação 06/06/2015 18h42
Cálculos indicam que 10 mil crianças nasceram com malformações, às vezes sem alguns membros, depois que suas mães tomaram o remédio contra enjôos
talidomida AFP Gordon Legal Arquivo

Foto: Nascida sem as pernas e os braços, Lynette Rowe venceu a empresa alemã na justiça da Austrália / ©AFP/Gordon Legal/Arquivo

LONDRES (AFP) - A empresa alemã que produzia a talidomida, um remédio para amenizar os enjoos nos primeiros meses da gravidez, pediu desculpas 50 anos depois da substância ter provocado malformações em milhares de crianças, mas as associações de defesa das vítimas exigem ações mais concretas. O diretor executivo da Grunenthal Harald Stock afirmou em um discurso na sexta-feira que a empresa "sente muito" pelo silêncio a respeito das vítimas da talidomida, um produto que era vendido nos anos 50 e 60 às mulheres grávidas para acalmar as náuseas matinais durante a gravidez.

"Pedimos que considerem nosso silêncio como um símbolo do impacto que nos provocou seu destino", disse Harald.

Freddie Astbury, consultor chefe da associação Thalidomide Agency UK, respondeu que a empresa tem que acompanhar as palavras com indenizações, e não apenas ficar limitada a um pedido de desculpas.

De acordo com cálculos de especialistas, 10.000 crianças nasceram com malformações, às vezes sem alguns membros, depois que suas mães tomaram talidomida, uma substância que foi vendida em quase 50 países antes de ser retirada do mercado em 1961.

registrado em: ,