Você está aqui: Página Inicial / Revista / A doce vida do delator / Olha o Báltico aí, gente!
Número 908,

Cultura

Papinho Gourmet

Olha o Báltico aí, gente!

por Marcio Alemão publicado 08/07/2016 15h25, última modificação 10/07/2016 05h24
Não se pode agradar a todo mundo
iStockphoto

- Vladimir Mukhin foi eleito o melhor jovem chef da Rússia.

– Sério? O Raskolnikov não levou nada?

– Achei um crime.

– Se bem que... você sabe o que ele fez.

– De fato, considerando isso, podemos dizer que foi um crime e castigo.

– Mas eu fiquei muito mais surpreso com a nomeação do Tõnis Siigur.

– O da Estônia? Eu não sei. Só se falava nisso na cena gastronômica. Inclusive, isso é fofoca, muito se falou que Papai Noel, primo dele que mora na vizinha Letônia, teria tido alguma influência na decisão dos jurados.

– Não pode ser! Papai Noel?

– Teria oferecido o trenó para alguma viagens não oficiais de alguns jurados, além de uma surpresas extras na árvore de Natal dos filhos daqueles.

– Espera! Vai me dizer que o grande Sergejs Siporovs da própria Letônia não levou nada?

– Levou também. Isso, de certa forma, deu mais peso às denúncias sobre a influência do bom velhinho na votação.

– Se a gente pensar bem, não deixa de ser uma estratégia interessante. Muita gente deixou de acreditar em Papai Noel. Quem sabe se, através de uma releitura da magia através da gastronomia, a coisa não volte a... sei lá.

– Com certeza o Noel deve estar trabalhando com um coach muito antenado.

– Todavia, o que fica disso é a alegria da gente saber que a turma do Báltico entrou com total competência para o mundo da alta gastronomia.

– O mundo já percebeu que a comida é um atrativo muito maior para um viajante do que uma estátua.

– A Espanha é um exemplo. Melhor dizendo, a Espanha tornou-se um exemplo, como é a Itália e é a França.

– E agora vamos todos para a Estônia, Lituânia e Letônia cheios de apetite.

– Do interior de Minas essa turma que viaja ainda não descobriu nada, né?

– Ouvi dizer que haviam programado uma temporada, mas, a exemplo dos golfistas, ficaram com medo do zika.

– Eu tenho esperança de que o esforço de Alex Atala em mostrar ao mundo a pujança de nossa culinária não terá sido em vão.

– As formigas não gostam muito dele.

– Não se pode agradar a todo mundo.