Você está aqui: Página Inicial / Revista / O Congresso sem controle / A Microsoft e o usuário
Número 862,

Economia

Tecnologia

A Microsoft e o usuário

por Felipe Marra Mendonça publicado 15/08/2015 08h27
Os avanços do Windows 10 vieram de sugestões dos consumidores
Istockphoto

windows 10 da Microsoft é considerado a versão final de um sistema operacional lançado pela primeira vez em 1985. O sistema agora deve evoluir em atualizações, mas não no nome ou em versões completamente novas. O Windows 10 precisará se adequar a todas as plataformas contempladas pela empresa, ou seja, PCs, smartphones, consoles Xbox e qualquer outro tipo de interface que venha a surgir, como o HoloLens, projeto de realidade virtual da empresa. “A gente brincava na nossa equipe que estava pedindo pizzas para 1,5 bilhão de pessoas e todo mundo queria uma cobertura diferente”, disse Mohammed Samji, gerente de experiência de consumidores na divisão Windows, em entrevista à PC World.

É importante o sistema funcionar bem para qualquer usuário em todas as plataformas. Parte das críticas às versões anteriores do sistema era de que a empresa parecia não ter uma ideia clara sobre os seus planos para o futuro do Windows. Uma versão parecia otimizada para quem usava teclados, outra para tablets, e isso gerava algo pouco consistente e frustrante. Diante dessa situação, a Microsoft permitiu a alguns clientes a obtenção de versões beta do sistema e o envio das suas primeiras impressões à imprensa. “E aí mudamos nossos planos, acrescentamos coisas e até tiramos outras funções com base nos mais de 5 milhões de amigos que testaram o produto para nós”, explicou Samji. A iniciativa e os seus resultados são importantes e podem mudar o jeito das pessoas interagirem com o sistema. O Windows, antes simplesmente uma imposição a quem comprava um PC com o sistema pré-instalado, evoluiu a ponto de ser uma escolha legítima.

Algumas funções, como o Windows Hello, são provas de que dar voz aos usuá-
rios durante o desenvolvimento foi uma ideia interessante. Ela permite ao usuário destravar o computador sem interagir fisicamente com seu PC. Uma câmera especial, presente em alguns PCs com sistema pré-instalado, reconhece o rosto do usuário e desbloqueia o sistema, fazendo o mesmo para qualquer outra pessoa com uma conta separada no mesmo computador. Outra é o Task View, que divide o monitor em diferentes espaços e permite rodar aplicativos lado a lado facilmente, sem necessidade de acertar milimetricamente o tamanho das janelas. Enfim, um sistema pensado para consumidores e que incorpora ideias de consumidores. Em se tratando da Microsoft, é algo quase revolucionário.