Você está aqui: Página Inicial / Revista / O Circo Brasil / Facebook nas urnas
Número 836,

Tecnologia

Redes Sociais

Facebook nas urnas

por Felipe Marra Mendonça publicado 15/02/2015 07h05
A rede social aumenta a participação eleitoral dos jovens
Robert Scoble/Flickr
Facebook1.jpg

Em uma pesquisa no Facebook, 60 mil jovens informaram ter votado e levaram outros 340 mil a fazer o mesmo. Na foto, Mark Zuckerberg, um dos fundadores da rede social

A rede social Facebook deverá ter um papel importante nas eleições parlamentares britânicas de maio. A decisão da gigante americana de estimular o voto jovem mediante mensagens nas páginas dos seus usuários pode fazer uma diferença importante num resultado que muitos especialistas acreditam ser difícil de prever. Os trabalhistas estão nominalmente na frente nas últimas pesquisas, mas qualquer movimento do eleitorado pode afetar o resultado de maneira decisiva. A operação do Facebook deve ser parecida com a realizada quando das eleições legislativas americanas de 2010. Na ocasião, um ícone inserido nas páginas de 61 milhões de usuários conduziam a uma ferramenta de busca ligada à seção eleitoral mais próxima. Além disso, os usuários podiam clicar num botão para informar aos seus amigos que já haviam votado, e podiam também ver quais deles tinham feito o mesmo.

Um estudo feito pelo professor Jonathan Zittrain, da Faculdade de Direito da Universidade Harvard, citado na revista americana The New Republic, mostra a importância dessa ação no dia das eleições. “Os usuários informados de que seus amigos votaram mostraram uma propensão a ir às urnas 0,39% superior à dos demais. Além disso, qualquer decisão relativa ao ato de votar parece ter afetado os amigos mais próximos, inclusive os não abrangidos pela campanha do Facebook”, disse Zittrain.

Segundo a mesma pesquisa, aquele aumento mínimo levou a muito mais votos. Os pesquisadores concluíram que o Facebook mobilizou diretamente 60 mil eleitores e que, graças ao efeito social da notificação de voto em suas páginas, outras 340 mil pessoas votaram naquele dia. Zittrain também ressaltou a importância desses números ao lembrar que as eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2000 foram decididas por 537 votos para George W. Bush na Flórida, menos de 0,01% do total do estado.

Elizabeth Linder, especialista do Facebook em política e governos europeus, disse ao Guardian que a ideia é simplesmente estimular o voto. “Mais de 35 milhões de pessoas no Reino Unido usam o Facebook, número bem maior que o total de eleitores nas últimas eleições parlamentares no país. Muitos já utilizaram nossa plataforma para opinar sobre quem deveria liderar o país e esperamos que esse tipo de diálogo amplie ainda mais o número de eleitores no dia 7 de maio”, destacou Linder.

registrado em: , ,