Você está aqui: Página Inicial / Revista / Especial Eleições / Só sei que nada sei
Número 823,

Cultura

Refô

Só sei que nada sei

por Marcio Alemão publicado 01/11/2014 08h20
Não conheço a maioria dos tais melhores restaurantes do mundo. Sorry!
Refô

Só sei que nada sei - é impossível conhecer todos os tais melhores restaurantes do mundo

Não vou mentir. Fiquei, sim, chateado ao constatar que, da lista dos 50 melhores restaurantes do mundo, elaborada por Alexandra Forbes e João Miguel Simões, publicada na revista Casa Vogue, eu conheço apenas três. A saber: o Casa Europa, o Fasano e o D.O.M.

Eu pensava que o Maní fosse bom, mas nem apareceu na lista. Puxa vida, e logo a lista da Alexandra, que é uma espécie de rainha da crônica e da cena gastronômica brasileira, dividindo o reinado com o absoluto Josimar Melo, que acaba de postar no Face a notícia de que está a mil na Paraíba, onde acontece o Inova Gastronomia Paraibana, que reuniu os melhores chefs do Brasil.

Acredite se quiser: não fui avisado, convidado ou informado de que esse evento rolaria. Conclusão simples, usando velha expressão, que no meu caso é bem adequada: Marcio Alemão está mais por fora que umbigo de vedete. Se o tal evento de suma importância estivesse acontecendo no Sudeste aecista eu até poderia entender, por conta da posição da revista. Mas, lá em cima, na terra de nossos amigos paraibanos?

Dez não seria um número ruim. Conhecer 10 dos 50. Notáveis 20%. Qual o quê. Pagar um prato de comida em cada um dos restaurantes escolhidos resultaria em uma conta ao redor de 25 mil reais, eu imagino. Coloque o custo das passagens e estadias e o número torna-se inalcançável para boa parte dos humanos que habitam o planeta Terra. Isso me serve de consolo? Claro que não.

Talvez até eu seja demitido: como assim só conhece três da Lista de Alexandra? E os outros quatro brasileiros? Também não? Só porque não estão em São Paulo? Ponha-se daqui pra fora! Pois é. Com a sinceridade de 11 anos de colaboração, eu digo que, ao estar comigo, nada de novo sobre o mundo gastronômico irás sorver, ter ou aprender.

Sou um tipo de sapo-boi da crônica gastronômica. Se passar pela minha frente, ainda que de posse de asas, numa linguada absorvo e repasso. No mais, como dizem os amigos de Jamie Oliver, sorry.

Em tempo. Para completar minha confissão de total ignorância, não faço a menor ideia de quem seja João Miguel Simões.

registrado em: