Você está aqui: Página Inicial / Revista / Dicionário eleitoral (para ingênuos) / A paixão incontida de Eric Clapton
Número 818,

Cultura

Música

A paixão incontida de Eric Clapton

por Redação — publicado 27/09/2014 07h46, última modificação 28/09/2014 19h00
Cantor explora em profundidade a obra de JJ Cale, um de seus maiores ídolos, morto no ano passado aos 74 anos
Eric Clapton

Tal como Jimi Hendrix, desdenhado nos Estados Unidos até sua descoberta pelo rock inglês, outro guitarrista americano, JJ Cale, criador de um estilo batizado com o nome de sua cidade, Tulsa, Oklahoma, ia desistir da carreira quando Eric Clapton fisgou um obscuro compacto, de 1966, com sua composição After Midnight. O registro da música pelo nativo de Ripley, ex-integrante de grupos como Bluesbrakers, Cream e Blind Faith, zarpou nas paradas. E Cale ganhou a chance de um solo extenso, Naturally, em 1972, cultuado como os subsequentes Really (1973), Okie (1974) e Troubadour (1976).

Apenas no ano seguinte o compositor decolaria de vez quando o devoto Clapton inseriu o libelo Cocaine no disco Slowhand, um dos mais vendidos de 1977. Com o nome pichado no muro, nos anos 60, como divindade da guitarra, Clapton trocava as firulas de malabaristas do instrumento pela pegada fluida e comovida de John Weldon Cale, na encruzilhada entre blues, country e folk.

Ele explora o estilo em profundidade no tributo ao ídolo falecido no ano passado, aos 74 anos, The Breeze: An Appreciation of JJ Cale. Sem incluir os óbvios sucessos que propulsionou, Clapton, escoltado por astros como Mark Knopfler (Dire Straits), Tom Petty (Heartbreakers), o caipira Willie Nelson e o hiperativo John Mayer, lustra pérolas obscuras como a balada letárgica Magnolia, a confessional Someday e a reflexiva The Old Man and Me. A paixão incontida de Clapton pela obra de Cale sobrecarregou o disco com 16 faixas, provável explicação para os abruptos cortes no encerramento de algumas. Mas isso não embaça a cintilação do autor, retratado nas etéreas pinceladas da faixa inicial: Chamam-me a brisa/ vivo soprando pela rua/ não tenho ninguém/ nenhum fardo para carregar.

The Breeze: An Appreciation of JJ Cale
Eric Clapton & Friends
Universal

registrado em: , ,