Você está aqui: Página Inicial / Revista / Gaza: tensão no limite / Gourmetizou, dançou
Número 809,

Cultura

Refô

Gourmetizou, dançou

por Marcio Alemão publicado 19/07/2014 08h44
Houve época em que o chique era dizer “cardápio executivo”, não “cardápio gourmet”, como se diz hoje
Istockphoto e Shutterstock
Gourmet

Procurar produtos gourmet é como procurar a tala qualidade de vida que prometem os anúncios de imóveis

Na portaria do motel, diante do cardápio de quartos, o sujeito pergunta:

– Essa suíte gourmet, como é?

– A cama é em formato de mesa e nós oferecemos preservativos gourmet, com sabores exóticos brasileiros desenvolvidos pelos chefs Alex Abdala e Rodrigo Pereira.

– Abdala, Pereira?

– Na revista The Sexy Restaurant, um ocupa o terceiro lugar e o outro, o quinto.

– E o que mais?

–  Dizem que nessa suíte come-se melhor.

Quem tem quase o monte de anos que tenho (56), há de se lembrar que houve um tempo em que a palavra EXECUTIVO estava tão em voga quanto a de hoje, GOURMET.

Tudo era Executivo ou, ainda mais chique, Executive. Eram cardápios, produtos, kits de bebidas destiladas e, claro, acomodações.

Em pouco tempo, como é de nosso feitio, banalizamos a palavra, que virou sinônimo de produto de quinta. Até pipoqueiro de porta de circo de periferia vendia pipoca executive.

Gourmet, vip e, anote aí ou preste mais atenção, diferenciado também tem sido um adjetivo supimpa para designar produtos, serviços e até pessoas. Mas é o gourmet que se tem destacado.

E o nosso querido Junior não poderia deixar passar a oportunidade para explorar e criar novos nichos.

O Cartório Gourmet, além de nos fazer engolir taxas e tarifas de uma maneira mais prazerosa, vai realizar a seguinte promoção: a cada cem firmas reconhecidas, você ganha a firma/assinatura de uma revista de gastronomia.

Banco Gourmet terá financiamento ou leasing especial para seu Food Truck, sua cozinha, varanda e até restaurante. Curso de formação para Goleiro Gourmet, inspirado em Júlio César, dará uma especial atenção aos frangos. AirGourmet – companhia aérea que só voará para destinos gastronômicos.

Ford Gourmet – carro com bancos de couro orgânico sem glúten. Motor flex abastecido com single malt 12 anos ou cachaça Anísio Santiago. Porta-malas com capacidade para 300 litros de tinto ou branco.

Crematório Gourmet-Sous Vide. Método moderno muito menos agressivo. O defunto é cozido a vácuo e à baixa temperatura.

Cesta básica gourmet: arroz Carnaroli, feijão guandu da Helena Rizzo, macarrão Martelli e passata di pomodoro rustica DeCecco.

Quanto tempo eu daria para esse adjetivo? Em minha opinião, já partiu. Conseguimos mais uma vez. Procurar produtos gourmet é como procurar a tal qualidade de vida que prometem os anúncios de imóveis: “Meio dormitório em pleno coração verde da Cracolândia de frente para um mar de cobertores cinza e noias. Isso é morar com qualidade e vida”.

registrado em: ,