Você está aqui: Página Inicial / Revista / Os homens de Alckmin / Ainda na praia
Número 784,

Cultura

Refogado

Ainda na praia

por Marcio Alemão publicado 27/01/2014 05h55, última modificação 27/01/2014 06h14
O que o Bubba Gump, de Cancún, tem a ver com outro Gump, o Forrest. Por Marcio Alemão
Reprodução
Forrest Gump

O assunto aqui é camarão, mas deu para contemplar os carnívoros

Ainda na praia mexicana, experimentei almoçar em uma franquia: Bubba Gump. Foi criada em 1996, na carona do filme Forrest Gump. Bubba era o amigo de Forrest, do Sul, cuja família não fizera outra coisa na vida a não ser preparar camarões.

Americanos sabem melhor que ninguém montar cenários e o desse restaurante é bem simpático, assim como os que nos servem.
O que pedimos estava realmente correto e bem saboroso. Arrisco dizer que foi uma das melhores comidas na praia. Sim, é verdade, no hotel comi um ceviche de vieiras muito fresco, feliz na combinação de todos os temperos.

Claro que me lembrei do Vivenda do Camarão, uma franquia nossa, verde-amarela. E me perguntei: o dono nunca foi aos EUA? Nunca esteve no Bubba Gump? A resposta mais provável e aceitável: não oferecemos nem um terço daquele menu porque não temos fornecedores e nossas cozinhas em praças de alimentação não comportariam a preparação de certos pratos. E, claro, aqui não se consegue comprar/vender camarão por um preço razoável. Pena.

Outra franquia que provei, chique, metida no último, foi a Ruth’s Chris Steak House. Uma casa de carnes sem jeito de franquia, mas que se espalha por toda a América e regiões simpatizantes. Entre no site e você vai descobrir que é, inclusive, o lugar predileto de celebridades carnívoras.

Eu não conhecia.
Um dos rapazes que nos acompanhavam deu a dica: “É a melhor carne dos EUA”. Então fomos a ela. De cara, o melhor crab cake que já comi na vida. Preciso confessar que não passaram de cinco as vezes que provei crab cake na América do Norte; mas essa sexta vez foi sensacional. O caranguejo lá estava, em pedaços pequenos e não moído. Leveza de temperos, leveza na hora de juntar tudo.

Hora de escolher as carnes: todas enormes. Fui de T-Bone. Alertou-me o garçom: todas as carnes vêm com manteiga. E eu, trouxa, disse o.k.

O que eu esperava que fosse acontecer com a carne após ter sido banhada por abundante quantidade de manteiga?

Foi exatamente isso que você pensou o que aconteceu: minha carne ficou com um enjoativo sabor de manteiga. De carne, nada senti. Duas, três garfadas, e me enjoei. Fosse uma pipoca no lugar da carne, o resultado em minha boca teria sido o mesmo. Com uma gigantesca diferença: o preço.

registrado em: