Você está aqui: Página Inicial / Revista / Mensalão sob pressão / Repórteres a bordo
Número 766,

Cultura

TV

Repórteres a bordo

por Nirlando Beirão publicado 15/09/2013 10h00, última modificação 15/09/2013 11h42
O fim da segunda temporada de "The Newsroom" traz a trepidante cobertura do que viria a ser a reeleição de Obama e os conflitos entre patrões e jornalistas
Divulgação
The Newsroom

John Gallagher Jr. e Emily Mortimer, mal incurável

The Boys in the Bus é um livro de Timothy Crouse com base em artigos escritos para a revista Rolling Stone durante a campanha presidencial norte-americana de 1972. Os boys do título remetem aos repórteres que, empilhados num ônibus que segue um dos candidatos (o democrata George McGovern, no caso de Crouse), se engalfinham em busca de um eventual furo que o editor autoritário e cético, distante das refregas da apuração, fatalmente descartará como falso ou inconsistente.

É o retrato cruel, sem retoques, dos pequenos poderes no jornalismo e dos grandes poderes do establishmet de Washington. Crouse conseguia manter um olhar muito especial sobre os bastidores da campanha americana graças ao hábito de manter um baseado permanentemente aceso em seus lábios.

O combustível que incendeia, em Newsroom, escrita por Aaron Sorkin, a trupe da emissora independente Atlantis Cable News (ACN, tão obviamente inspirada na CNN que até Jane Fonda, ex-mulher de Ted Turner, faz aqui as vezes de patrão) é bem diferente: vaidade, ambição, paixão recalcada (da superprodutora MacKenzie McHale pelo âncora Will McAvoy) e até algum idealismo. Em 2012, quem entra no ônibus do candidato Mitt Romney, pela ACN, é o repórter Jim Harper (John Gallagher Jr.), hostilizado pelo staff republicano por sofrer de um mal incurável: Jim acredita que o jornalismo tem alguma coisa a ver com a verdade dos fatos.

O fim da segunda temporada de Newsroom (o último episódio vai ao ar segunda, às 22 horas, na HBO), com a trepidante cobertura do que viria a ser a reeleição de Obama, lembra o livro de Crouse na percepção dos conflitos travados nos bastidores entre patrões a barganhar convicções solúveis e jornalistas que ainda buscam manter alguma dignidade. Como se vê, Newsroom guarda pouca semelhança com o que se passa no Brasil.

registrado em: , ,