Você está aqui: Página Inicial / Revista / A águia é o Big Brother / Glória feita de samba
Número 756, Julho 2013

Cultura

Livro

Glória feita de samba

por André Carvalho — publicado 10/07/2013 08h34, última modificação 10/07/2013 12h42
Produtor Rodrigo Alzuguir lança "Wilson Baptista – Cancioneiro Comentado", obra com partituras do cronista que mapeou a vida social e política carioca
Divulgação
Wilson Baptista

Compositor à frente de seu tempo, Baptista foi cronista da vida carioca

Wilson baptista de Oliveira, autor de clássicos da música popular brasileira como Oh!, Seu Oscar (parceria com Ataulfo Alves) e Emília (com Haroldo Lobo), nasceu há exatos cem anos, a 3 de julho de 1913, em Campos, interior do Rio de Janeiro. O grande cronista que mapeou a vida social, esportiva e política carioca entre os anos 1930 e 1960 é há dez anos objeto de estudo do pesquisador e produtor Rodrigo Alzuguir, que acaba de lançar o livro de partituras Wilson Baptista – Cancioneiro Comentado.

Para Alzuguir, o prolífico autor de cerca de 600 sambas adentrou a história com prestígio desproporcional ao fabuloso talento. Os de pouco contato com sua portentosa obra costumam associar o compositor à polêmica com Noel Rosa, querela particular das duas grandes figuras, da qual Baptista acabou por sair como vilão. O escritor esclarece que a implicância mútua começou com uma disputa por uma dançarina. Samba vai, samba vem, Baptista pegou pesado e compôs Frankenstein da Vila, uma nada lisonjeira referência à aparência de Noel.

O fascínio de Alzuguir pelo sambista começou em 2000, quando desenvolveu o projeto gráfico do álbum Ganha-se Pouco, Mas É Divertido, de Cristina Buarque. Desde então se dedica ao universo de Baptista. Produziu e estrelou com Claudia Ventura o espetáculo musical O Samba Carioca de Wilson Baptista, que rendeu CD duplo e songbook. Até setembro lança a biografia Wilson Baptista –
O Samba Foi sua Glória!

Cancioneiro traz 105 partituras e fotos raras. “Muitas nunca haviam sido editadas”, ressalta o escritor. “Wilson Baptista era um compositor original em termos musicais e na temática. Fazia samba despreocupado de métrica e rima, com humor e criatividade. Era  um compositor muito à frente de seu tempo.”