Você está aqui: Página Inicial / Revista / Sorria, você está sendo espionado / A nova cara dos consoles
Número 753, Junho 2013

Tecnologia

Tecnologia

A nova cara dos consoles

por Felipe Marra Mendonça publicado 14/06/2013 19h32
Microsoft e Sony em alta, Nintendo em baixa
Divulgação
PS4

PlayStation4: no mercado americano por 399 dólares

o duas as principais impressões depois das apresentações da Sony e da Microsoft na E3. A primeira é que a equipe de designers industriais de ambas as empresas continua firmemente plantada na década de 1980. Se o Xbox One poderia ser comparado com uma secretária eletrônica na aparência, o Playstation 4 não fica muito longe de um aparelho de videocassete dos bons, daqueles que sempre comiam fitas.

Isso não quer dizer que sejam consoles feios, pelo contrário. A aparência sisuda até ajuda aqueles que se sentem desconfortáveis em colocar um videogame no meio da sala. Agora, de tão camuflados, não destoam dos outros aparelhos eletrônicos conectados à televisão.

A segunda impressão retirada da E3 é que a Sony parece ter conquistado a simpatia da maioria em detrimento da Microsoft. A apresentação da gigante japonesa parecia dirigida como uma resposta aos três principais pontos fracos do Xbox One.

O primeiro foi o preço do Playstation 4, que será lançado no mercado americano por 399 dólares. São 100 dólares a menos do que o preço do Xbox One. A diferença parece pequena, ainda mais se esticada por toda a vida útil de um console, mas é um ponto que pode fazer a diferença na hora da escolha do consumidor entre as prateleiras de uma loja. O segundo é que o Playstation 4 não pede uma conexão à internet, coisa de que o console da Microsoft precisa pelo menos uma vez por dia. O terceiro, e talvez o mais importante, é que a Sony não deve impor restrições à venda ou troca de jogos, tanto é que fez um vídeo explicando como “compartilhar” os jogos do PS4. Nele, um executivo da Sony entrega um jogo ao outro.

Claro que nenhum desses pontos é definitivo para a vitória do Playstation 4 sobre o Xbox One. Essa geração de consoles deve certamente durar mais do que meia década e até lá a Microsoft pode ter dado a volta por cima, mas é certo que a Sony deu um primeiro passo importante. E mais do que isso, o silêncio em torno da Nintendo mostra que essa corrida deve ter só dois competidores.