Você está aqui: Página Inicial / Revista / O Brasil confiante / Retrato do artista quando online
Número 747, Maio 2013

Sociedade

Blogs do além

Retrato do artista quando online

por Vitor Knijnik — publicado 09/05/2013 14h21, última modificação 09/05/2013 14h28
James Joyce convidou você para jogar Diamond Dash. Esse pequeno alerta arruinaria minha reputação
Blog do James Joyce

Blog do James Joyce

Vamos lá. Ulysses I

Solene, o roliço Buck Mulligan surgiu no alto da escada, portando uma vasilha de espuma em que cruzados repousavam espelho e navalha. John Gogarty e Miriam Ellman curtiram sua publicação no mural "A História é um pesadelo do qual tentamos acordar."Nem lembro em que contexto disse isso. Mas funciona bem como citação. Se virar meme, saberei se fez sucesso. Gostaria que atribuíssem a mim algo que a Clarice Lispector formulou. Seria a Glória. Não, seria Clarice mesmo. Ou melhor, seria a glória ter algo dito pela Clarice na boca de Joyce. Quase cometi um Drummond. Não lembro também quem é Miriam Ellman e por qual razão aceitei a sua solicitação de amizade. Ela tem muitos álbuns e nenhuma foto de biquíni. Mais um convite para jogar Diamond Dash. Deve ser bom jogar esse troço. Quem gosta joga dia e noitemound. Não aceito porque tenho medo de me viciar e sair disparando convites pra todo mundo. James Joyce convidou você para jogar Diamond Dash. Esse pequeno alerta arruinaria minha reputação. 23 likes em 2 dias é muito pouco. Devo ter usado o filtro errado ou um muito batido. Essas colorações vintage já eram, por que não fui direto no preto e branco que não tem erro? Um roupão amarelo, com cíngulo solto, era delicadamente sustentado atrás dele pelo doce ar da manhã. elevou a vasilha e entoou:

Tem gente esquisita nessa timeline. Pra que dar Boa tarde? É teste de popularidade? Para com isso, James. Qual o problema de dar Boa Tarde para 639 pessoas ao mesmo tempo? Só artistas no palco teriam esse direito? Argumento retórico. Boa tarde no mural não é o mesmo que num palco. Tô sendo ranzinza. Deixa o cara dar Boa Tarde. B-o-a t-a-r-d-e p-r-a v-o-c-ê t-b. Olha isso. O cara deu like no meu Boa Tarde e compartilhou. É maluco mesmo. Reencontrar amigo de infância na vida adulta é sempre um espanto. Espantos são essas ofertas. Preciso me descadastrar dessa loja virtual. Eles mandam muitos e-mails por dia. Nem abro estas porcarias. Vejo o nome deles em negrito e pum, já deleto. Me falta coragem. Toda vez que eu vou clicar naquele link que diz “se você não deseja mais receber nossos e-mails, clique aqui”, sinto que posso estar me cadastrando em outras trinta lojas. E aí seguro o dedo. — Introibo ad altare Dei.

Detido, examinou o escuro recurvo da escada e invocou ríspido:

–Sobe, Kinch. Sobe, seu jesuíta medonho.

–Eai? – Tudo. – Fazendo? – Aqui na batalha. – Guinness daqui a pouco? – Talvez. – Vamos lá. – Se eu render aqui eu te chamo. – Falou, no aguardo. A versão lite é free. Nem sei pra que serve direito, mas vou baixar. Mais um quadradinho na minha vida. É um mistério esse gordinho coreano fazer tanto sucesso. Reconheço que não consigo parar de ver. O cara de terno amarelo de cetim é uma figura. Eu acho que consigo fazer essa dancinha de requebrar os quadris e colocar uma mão no queixo e a outra no cotovelo. Mother father gentleman. Olha só, minha amiga Raquel, quem diria, é a favor da redução da maioridade penal e pelos motivos mais bestas. Impressionante. A turma se revela. Cansei. Por hoje deu. Nesse ritmo, o Bloom vai demorar dias para voltar pra casa.

registrado em: