Você está aqui: Página Inicial / Revista / A central de grampos de Marconi Perillo / Quebra-cabeças do afeto
Número 746, Abril 2013

Cultura

Bravo! Teatro

Quebra-cabeças do afeto

por Alvaro Machado — publicado 26/04/2013 15h28, última modificação 26/04/2013 15h29
Esgarçada, quase “impressionista”, A primeira vista acompanha a relação amorosa entre duas mulheres em suas passagens por campings, bares e shows de rock
A primeira vista

Poética cômica. Drica Morais e Mariana Lima, com graça e brilho.

A PRIMEIRA VISTA
Enrique Diaz
Teatro Sesc Pompeia, SP
Até 26 de maio

Esgarçada, quase “impressionista”, a história acompanha a relação amorosa entre duas mulheres em suas passagens por campings, bares e shows de rock. Situações e sentimentos corriqueiros povoam os diálogos. Encharcados em dúvida, esses constroem poética, tanto mais rara porque cômica. Ao assistir às peças do canadense Daniel McIvor, é o espectador quem desenha e soluciona seu próprio quebra-cabeça. O diretor Enrique Diaz prefere falar em “montar sua estrutura”, mas a multiplicidade de ângulos sobre os personagens sugere um puzzle teatral.

Das peças do autor já se disse que é “metateatro”, pois os atores, muitas vezes voltados à plateia em vez de contracenar, parecem observar a própria performance. Herdeiro de Beckett e Harold Pinter, McIvor ganhou em Diaz parceiro valoroso. Há 13 meses Drica Morais e Mariana Lima sustentam a peça com graça e brilho.