Você está aqui: Página Inicial / Política / Uma tragédia revista

Política

11 de Setembro

Uma tragédia revista

por Tão Gomes — publicado 11/09/2011 15h28, última modificação 11/09/2011 15h33
Mostra em NY faz releitura dos atentados e evoca as sensações e os sentimentos das pessoas no momento dos ataques

Os atentados de 11 de setembro de 2001 foram o desastre mais testemunhado a história. Temos documentários sobre tudo o que aconteceu, desde o momento em que o primeiro avião chocou-se com a primeira torre. Fizemos filmes sobre as familias dos desaparecidos, alguns exclusivos mostrando o heroismo dos bombeiros de Nova York, tudo fotografado, filmado, documentado para a posteridade.

Talvez devido a esse excesso de "documentação" está sendo inaugurada, neste domingo em Nova York, uma curiosa exposição sobre o 11 de Setembro em que o ataque às Torres Gêmeas sequer será mencionado.

Os visitantes do Museu de Arte Moderna (MoMA PS1) irão talvez lembrar-se do céu azul daquela manhã, mas a partir dai caberá a cada um associar e fazer suas próprias conexões com o atentado.

A agência Reuters informa que as cenas e objetos que compõem a exposição datam de antes do ano de 2001. Algumas vieram dos anos 60. Foi o desafio que o curador Peter Eleey escolheu para lembrar a tragédia que matou mais de duas mil pessoas.

A profusão de imagens do 11 de Setembro era tanta que Eleey decidiu abandoná-las. Escolheu uma abordagem que poderia ser chamada de "indireta".

No subsolo, por exemplo, ouve-se uma gravação de áudio feita em 1999 pelo artista Stephen Vitello, chamada “Gravações do World Trade Center: Ventos Após o Furacão Floyd“. Sombrios rangidos e outros ruídos dos arranha-céus ao serem atingidos pelos ventos de um furacão.

Uma obra mais recente, feita em 2008 pelo artista Roger Hiorns, consiste em poeira prateada, obtida de uma turbina de avião e espalhada pelo chão de forma aleatória.

Uma foto de William Eggleston mostrando uma mão mexendo numa bebida gelada e colorida na ensolarada cabine de um avião pode trazer à mente a forma como um voo comum se transformou em um pesadelo infernal. A foto, “Sem Título (Copo no Avião)” é da década de 1960.

A exposição inclui também uma instalação de luzes de James Turrell e obras dos artistas norte-americanos Diane Arbus, Alex Katz e Ellsworth Kelly. Fica em cartaz até 9 de janeiro no PS1, filial do MoMA especializada em arte contemporânea, no Queens.

registrado em: ,