Você está aqui: Página Inicial / Política / Um País levemente menos pessimista

Política

Vox Populi / CartaCapital

Um País levemente menos pessimista

por Redação — publicado 23/02/2014 09h46, última modificação 23/02/2014 12h32
Quase metade dos entrevistados (48%) diz acreditar que a situação vai melhorar, muito (14%) ou pouco (34%) até o fim do ano. Outros 16% acham que o país vai piorar

Nos últimos seis meses, o Brasil mais melhorou do que piorou. É o que afirma a maioria dos entrevistados pela Pesquisa Vox Populi / CartaCapital realizada entre 13 e 15 de fevereiro. Segundo o levantamento, 32% acreditam que o País “melhorou” um pouco no período. Para 7%, melhorou muito. De acordo com 36%, o Brasil nem melhorou nem piorou. Outros 17% dizem que a situação “piorou um pouco” e outros 7%, “piorou muito”.

Os eleitores do sul são os mais otimistas (45%). No Sudeste, apenas 31% dizem que a situação está melhor, mesmo índice daqueles que consideram que está pior.

Os entrevistados que apontaram melhoras vivem em municípios pequenos (44%), idosos (41%), estudaram até o ensino fundamental (41%) e ganham até dois salários mínimos (41%). Quanto maior a renda, menor a percepção de melhora.

Quase metade dos entrevistados (48%) diz acreditar que a situação vai melhorar, muito (14%) ou pouco (34%) até o fim do ano. Outros 16% acham que vai piorar, “muito” (5%) ou pouco (11%).

A pesquisa apontou ainda uma queda no índice de satisfação em morar no Brasil em relação às duas primeiras semanas de junho de 2013, quando tiveram início os protestos. Na época, 61% da população estava satisfeita de maneira geral. Hoje o índice é de 55%, dos quais 5% se dizem “muito satisfeitos” e 50%, apenas satisfeitos.

O índice de insatisfação é de 43%, dos quais 7% afirmar estar “muito insatisfeitos”.

A região onde o índice de satisfação é maior é o Centro/Oeste, com 63%. O menor índice é do Sudeste (47%), onde mais da metade da população diz estar insatisfeita (52%).

O índice de satisfação é maior entre os entrevistados da área rural (71%), idosos (62%), de baixa escolaridade (61% entre quem estudou até o ensino fundamental) e de baixa renda (57% entre quem ganha até dois salários mínimos). Quando maior a renda, menor a satisfação.

Sobre se o Brasil está no “caminho certo ou errado”, os entrevistados se mostraram divididos: 44% acham que o País está no caminho certo e 45%, no caminho errado. Os 10% restantes não responderam. A maioria daqueles que acham que o Brasil está no caminho “certo” mora no Sul (53%). Segundo o instituto, os mais otimistas são homens (47%, contra 41% das mulheres), estudaram até o ensino fundamental (49%) e ganham até dois salários mínimos (45%).

O instituto ouviu 2.201 eleitores em 161 municípios de todas as regiões. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.