Você está aqui: Página Inicial / Política / Um disque-denúncia para crimes eleitorais

Política

Fiscalização

Um disque-denúncia para crimes eleitorais

por Envolverde — publicado 03/09/2010 10h42, última modificação 03/09/2010 11h39
Disque Denúncia Eleitoral funcionará como um "Ficha Limpa" do povo

O PNBE assinou com o Ministério Público, TRE e Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, convênio para implantar o DISQUE DENÚNCIA ELEITORAL (DDE), que visa punir candidatos que descumpram a legislação, tentem comprar votos, façam publicidade irregular e cometam outros atos ilícitos. Estamos pedindo a todos que ajudem a divulgar os números de telefones disponíveis.

As infrações eleitorais, se não punidas, permitem a eleição de delinqüentes, colocam em situação de inferioridade candidatos éticos, desmoralizam o pleito, consequentemente o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO, A DEMOCRACIA, regime sob o qual queremos viver. De certo modo, o DDE é a continuidade da ficha limpa. Após inscrever-se o candidato continua tendo que se comportar com ética e legalmente. Futuramente tentaremos manter o DDE para políticos e autoridades, mesmo após as eleições.

Os resultados têm aparecido, dezenas de denúncias por dia, cumprindo nosso papel de organização de cidadãos, as recolhemos e enviamos ao MP, que se encarrega de encaminhar e apurá-las. Os candidatos passam a ser mais cuidadosos na relação com o eleitor.

O voto consciente nas eleições é o único caminho pelo qual podemos atingir metas definidas como ideais pelo PNBE, que só se efetivarão se assumidas por todos os setores da sociedade: buscar um país socialmente justo, economicamente forte, ambientalmente sustentável, politicamente democrático e eticamente respeitável. Findas as eleições, temos todos que exigir dos eleitos reformas que modernizem o país: política, tributária, trabalhista, sindical, educacional e as demais necessárias.

Trata-se de um caminho longo e difícil, que precisa ser trilhado. Um desafio que deve estimular aqueles para os quais a vida não é apenas uma existência biológica, que tem auto estima, que não renunciam à capacidade de se indignar, de se sensibilizar e lutar pelo que é justo. Admitir corrupção e irregularidades em uma eleição é trilhar o caminho contrário, aceitar a convivência com a imoralidade. Lembremos que os formadores de opinião têm obrigação de dar o exemplo.

Percival Maricato

1º Coordenador

Mario Ernesto Humberg

2º Coordenador

José Roberto Romeu Roque

Coordenador do Disque Denúncia Eleitoral

registrado em: