Você está aqui: Página Inicial / Política / Com aprovação do Senado, Brasil pagará o triplo por energia de Itaipu

Política

Energia

Com aprovação do Senado, Brasil pagará o triplo por energia de Itaipu

por Opera Mundi — publicado 12/05/2011 09h54, última modificação 12/05/2011 11h04
A partir de votação, Brasil passará a pagar 360 milhões de dólares anuais pelo excedente de energia na usina de Itaipu. Acordo foi feito em 2009 pelo presidente Lula e Fernando Lugo. Do Opera Mundi

Em votação simbólica nesta quarta-feira 11, o Senado brasileiro aprovou, depois de mais de seis horas de debates, acordos assinados com o governo do Paraguai para triplicar o valor pago pelo Brasil pela energia excedente gerada na hidrelétrica binacional de Itaipu.

A votação no Senado era o último passo para que entrassem em vigor os acordos, assinados em 2009, pelos quais o Brasil passará a pagar 360 milhões de dólares anuais pelo excedente de energia paraguaia.

O tratado de constituição de Itaipu, de 1973, diz que Brasil e Paraguai têm direito, cada um, a 50% da eletricidade gerada pela represa, e estabelece que a energia não utilizada deve ser vendida ao outro sócio.

Como o Paraguai satisfaz sua demanda com apenas 5% da eletricidade de Itaipu, o restante é repassado ao Brasil, que até agora pagava pelo excedente 120 milhões de dóalres anuais.

Os acordos assinados em 2009 pelo então presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e o líder paraguaio, Fernando Lugo, estabelecem que o valor será triplicado e contempla ainda a construção de uma linha de transmissão de 500 quilowatts entre Itaipu e Assunção, com custo calculado em 400 milhões de dóalres.

A aprovação dos convênios no Senado acontece três dias antes de a presidente brasileira, Dilma Rousseff, desembarcar em Assunção para participar das festividades pelo Bicentenário da Independência do Paraguai.

*Matéria publicada em OperaMundi

registrado em: