Você está aqui: Página Inicial / Política / PSDB ainda questiona pesquisa Sensus

Política

Eleições 2010

PSDB ainda questiona pesquisa Sensus

por Celso Marcondes — publicado 20/04/2010 18h59, última modificação 17/08/2010 19h01
Com autorização do Tribunal Superior Eleitoral os tucanos foram ao Instituto Sensus checar dados da pesquisa eleitoral

Com autorização do Tribunal Superior Eleitoral os tucanos foram ao Instituto Sensus checar dados da pesquisa eleitoral

Prossegue a polêmica a respeito das discrepâncias entre os resultados das pesquisas de opinião para as eleições presidenciais realizadas pelos principais institutos.

Tudo começou quando o Datafolha colocou em suspeição os métodos utilizados pelo Sensus em sua última pesquisa, divulgada dia 13, que apontava “empate técnico” entre José Serra e Dilma Rousseff no primeiro lugar. Imediatamente o PSDB fez coro com o Datafolha e encaminhou representação junto ao Tribunal Superior Eleitoral questionando a pesquisa.

O TSE acatou o pedido e autorizou o partido a mandar seus emissários à sede do Sensus para realizar uma vistoria sobre o material da pesquisa, que se iniciou na sexta-feira 16.

Na tarde desta segunda-feira 19 o Instituto Sensus divulgou carta assinada por Ricardo Guedes informando parecer do cientista político Fabrizio Tavoni, contratando pelo PSDB. Para Tavoni não havia indícios de fraude na pesquisa Sensus. A mesma informação foi divulgada pela Agência Folha em matéria publicada dia 16 passado.

Entretanto, na manhã desta terça 20, os jornais, a Folha entre eles, dão conta de outra informação: o PSDB teria encontrado “cinco irregularidades” na pesquisa, tais como: “muitas folhas de resposta não continham a informação de início e fim das entrevistas”.

Por conta disso, os advogados do partido estariam estudando a possibilidade de um novo pedido que questione a idoneidade da pesquisa. O site do PSDB, no entanto, não exibia até as 16 horas de hoje qualquer referência ao assunto.

Em suma, a questão permanece nebulosa, mais ainda depois da pesquisa divulgada pelo Datafolha no último fina de semana, que apontou uma diferença de dez pontos percentuais entre Serra e Dilma.

A edição de CartaCapital que está nas bancas publica matéria em que avalia a guerra entre os institutos de pesquisa que acompanham a disputa cada vez mais polarizada entre os candidatos do PSDB e do PT.

Em seu site, o jornalista Luis Nassif também faz um balanço do assunto, 

Ontem, Nassif recebeu a seguinte carta de Ricardo Guedes, sócio do Sensus:

Prezado Luis Nassif
Seguem (a) a declaração à Folha de São Paulo e (b) o parecer após a conclusão dos trabalhos na Sensus do Representante do PSDB, Fabrizio Martins Tavoni, atestando não haver fraude ou irregularidades na Pesquisa realizada e divulgada pela Sensus, após 11 horas e 30 minutos de conferências dentro deste Instituto.
Favor observar que, na declaração à Folha, é citado:

“À Folha, o cientista político Fabrizio Tavoni, contratado pelo PSDB, disse que não havia indícios de fraude.”
No parecer do Representante do PSDB, é citado que:

“os dados digitados foram iguais aos divulgados. …Dando por finalizado esse trabalho.”