Você está aqui: Página Inicial / Política / Presidência afasta filha de investigada e três funcionários do Ministério dos Transportes

Política

Operação Porto Seguro

Presidência afasta filha de investigada e três funcionários do Ministério dos Transportes

por Agência Brasil publicado 27/11/2012 10h20, última modificação 27/11/2012 11h13
Mirelle Nóvoa de Noronha era assessora técnica da Diretoria de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil

Vinícius Soares
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O inventariante da extinta Rede Ferroviária Federal S.A., José Francisco da Silva Cruz, o ouvidor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Jailson Santos Soares, e o chefe de gabinete da Antaq, Enio Soares Dias, foram afastados de seus cargos hoje (27) em decorrência da Operação Porto Seguro, da Polícia Federal. O afastamento de Jaílson foi publicado no Diário Oficial da União, nos despachos da Presidenta da República, e a exoneração de José Francisco foi assinada pela ministra Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, juntamente com a de Glauco Alves Cardoso Moreira, procurador-geral da Antaq. Já Ênio foi demitido pela própria agência.

A Operação Porto Seguro investiga um esquema de favorecimento de interesses privados em processos públicos. A Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Advocacia-Geral da União (AGU), a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério da Educação (MEC) estão entre os órgãos envolvidos na operação.

O Diário Oficial de hoje publicou também a exoneração de Mirelle Nóvoa de Noronha da assessoria técnica da Diretoria de Infraestrutura Aeroportuária da Anac. O desligamento ocorreu a pedido da própria Mirelle, que é filha da ex-chefe de gabinete do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, exonerada ontem.

José Weber Holanda Alves também foi exonerado do Conselho Deliberativo da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo. José Weber já tinha sido afastado do cargo de adjunto do advogado-geral da União. A abertura de sindicância administrativa na Secretaria do Patrimônio da União, com prazo de 30 dias, foi outra publicação do Diário Oficial de hoje.

 

 

*Matéria originalmente publicada na Agência Brasil