Você está aqui: Página Inicial / Política / PMDB gaúcho libera o voto dos filiados para a Presidência da República

Política

Eleições 2010

PMDB gaúcho libera o voto dos filiados para a Presidência da República

por Lucas Azevedo — publicado 26/08/2010 15h51, última modificação 26/08/2010 17h47
Decisão é tomada após a primeira pesquisa apontando que Dilma Rousseff (PT) ultrapassou José Serra (PSDB) no Rio Grande do Sul

Horas após a divulgação da pesquisa Datafolha que apontou uma vantagem de 20 pontos de Dilma Rousseff (PT) sobre José Serra (PSDB) na corrida eleitoral, o PMDB gaúcho decidiu liberar o voto para a Presidência da República. Para enfrentar o mal estar que acometia a sigla no Rio Grande do Sul, o partido oficializou a decisão nesta quinta-feira 26.

O anúncio partiu do senador Pedro Simon, em reunião realizada na sede do partido, em Porto Alegre. “Tínhamos um grupo de deputados apoiando o Serra e um grupo de prefeitos que disse que votaria na Dilma. Isso gerou uma disputa interna. Nesse sentido, oficializamos que o voto é aberto, mas a obrigatoriedade para o governo do Estado é o apoio ao [José] Fogaça”, explicou Simon.

O partido optou pela neutralidade para “respeitar os pontos de vista divergentes”, avalia o coordenador-geral da campanha de Fogaça, deputado federal Mendes Ribeiro Filho. Para o parlamentar, o nome do PMDB ao Piratini é o que congrega o partido, descartando qualquer posicionamento do candidato, ao menos no primeiro turno, de apoio a um presidenciável. “Há apoio ao Fogaça tanto pelo PDT, que está com a Dilma, quanto do DEM, que está com o Serra. O Fogaça tem que unir, e não dividir.”

A pesquisa divulgada nesta quinta apontou que Dilma passou Serra no Rio Grande do Sul e em São Paulo, últimos estados onde o tucano ainda tinha alguma vantagem até a coleta anterior de dados sobre intenção de voto. A candidata petista tem no estado, agora, 43% do eleitorado, contra 39% do tucano. No país, a vantagem é de 49% a 29%. Tais números encerrariam a disputa em primeiro turno.

registrado em: ,