Você está aqui: Página Inicial / Política / Para o PV, "onda verde" vem aí

Política

Entrevista

Para o PV, "onda verde" vem aí

por Celso Marcondes — publicado 29/09/2010 18h30, última modificação 30/09/2010 11h12
Candidato ao Senado pelo PV-SP, Ricardo Young, acredita que a “Onda Verde” levará Marina Silva ao segundo turno na disputa presidencial

Candidato ao Senado pelo PV-SP, Ricardo Young, acredita que a “Onda Verde” levará Marina Silva ao segundo turno na disputa presidencial

Em entrevista à CartaCapital o candidato ao Senado pelo PV, Ricardo Young, fala de sua primeira experiência eleitoral, saúda a mídia pelo destaque dado à cobertura das eleições ao Senado e fala sobre o crescimento de Marina Silva na reta final do pleito. “O eleitor está maduro”.

Eleições legislativas:

CartaCapital: Às vésperas das eleições e de sua primeira experiência eleitoral, qual o principal aprendizado?
Ricardo Young
: Em primeiro lugar o fato de minha candidatura ter se viabilizado como resultado de uma coalizão de forças que a legitimou junto à sociedade e ao eleitorado paulista. Em segundo lugar porque provou ser possível, apesar de termos passado por momentos difíceis com pouco dinheiro, fazer uma campanha baseada na ética, na transparência e em propostas consistentes. Foi bastante expressivo ter chegado aonde cheguei e ter conseguido essa identificação positiva junto ao eleitorado.

CC: Em São Paulo, crê que houve uma discussão razoável sobre as eleições para o Senado?
RY
: Eu acho que os veículos de comunicação atenderam aos repetidos apelos que fizemos para que se desse o devido destaque as eleições para o Senado. A mídia, em geral, criou condições de discussão do processo dentro dos limites impostos pela legislação eleitoral.

CC: O que distinguiu sua campanha daquelas dos demais concorrentes?
RY
: Com muito menos recursos de tempo e dinheiro, minha candidatura vai ter um resultado nas urnas, bastante considerável. Ao final da apuração, tenho certeza: se dividirmos os recursos de campanha e tempo por eleitor o resultado será que, com o mínimo conseguiremos o máximo. E o mais importante, estará provada a possibilidade de se fazer uma campanha mais barata, baseada em propostas e que efetivamente seja capaz de atingir aos anseios da população.

CC:Acredita que vai receber votos de eleitores de Dilma e Serra?
RY
: Sim, acredito! Creio que, principalmente, por haver uma insatisfação dos eleitores desses partidos com coligações formadas com o único objetivo de obter tempo de televisão e, por essa razão, ter colocado candidatos muito diferentes lado a lado.

Eleições presidenciais

CC: A que você atribui o crescimento de Marina Silva nas últimas pesquisas?
RY:
Atribuo a um desencanto generalizado do eleitor com uma coalizão que ao tentar representar a continuidade do governo Lula, demonstrou uma grande fragilidade em suas propostas e na sua base fisiológica. Afinal, o Brasil está longe de estar resolvido e a liderança da Dilma ainda não passa a segurança necessária para os desafios que ainda enfrentaremos. Também podemos ressaltar o fato de que o eleitor está maduro, sabe que não pode dar carta branca à candidatura governista sem aprofundar o debate. Seria um verdadeiro cheque em branco não passar pelo 2º Turno.

A candidatura de Serra também não mostrou o vigor e a coesão necessária que se esperaria de uma candidatura de oposição. Houve uma certa confusão no processo, desde o início.

Por outro lado, Marina Silva tem propostas claras e focadas para o futuro do País. Marina faz uma campanha verdadeira que representa os mais altos valores da ética e da transparência na política. O eleitor deseja uma nova forma de se fazer política e a Marina tem demonstrado que isso é possível.

CC: Você acredita que a chamada “onda verde” será suficiente para levar Marina Silva para o segundo turno contra Dilma Rousseff? Aonde buscar os votos que faltam para isso?
RY
: Sem dúvida que acredito na Onda Verde e ela terá a capacidade de levar Marina Silva ao 2º Turno! Esses votos que faltam virão do grande número de indecisos, dos milhares de eleitores que veem necessidade de que ocorra o 2º Turno. Votos que também virão de petistas desiludidos que sempre estiveram comprometidos com a ética e com os interesses populares e sentem-se desconfortáveis com o oportunismo e o fisiologismo do PMDB, com a fraqueza da liderança de Dilma e o socorro desesperado que o presidente Lula precisa dar a essa candidatura. E esse pesadelo incomoda muita gente. Quem melhor traduz o sonho petista e expressa o compromisso histórico do PT é a Marina.

registrado em: