Você está aqui: Página Inicial / Política / Presos informantes que ajudaram EUA

Política

Morte de Bin Laden

Presos informantes que ajudaram EUA

por Redação Carta Capital — publicado 06/07/2011 17h20, última modificação 06/07/2011 18h49
Paquistão mantêm sob custódia acusados de passar informações que levaram à localização e morte do líder da Al Qaeda

Os serviços militares de Inteligência do Paquistão prenderam cinco pessoas que teriam fornecido informações à Central de Inteligência Americana (CIA) sobre a casa em que o ex-líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, vivia em Abbottabad, segundo o jornal americano The New York Times.

Entre os detidos estaria um alto comandante do Exército paquistanês, supostamente encarregado de anotar as placas dos carros que entravam e deixavam a residência semanas antes das forças especiais americanas realizarem a incursão que culminou na morte de Bin Laden.

As prisões refletem a tensão no relacionamento atual do Paquistão e os EUA, que ainda têm dúvidas sobre o nível de apoio fornecido ao terrorista pelo governo local para que esse ficasse escondido por cinco anos e não ser descoberto.

Nos EUA, figuras do alto escalão de órgãos do governo americano afirmaram acreditar que os serviços secretos do Paquistão colaboraram com Bin Laden.

Entre os que defendem essa idéia estão o presidente da Comissão de Inteligência da Câmara dos Representantes, o republicano Mike Rogers, e subdiretor da CIA, Michael J. Morell.

Não há informações sobre o local para onde os informantes presos foram enviados, mas o diretor da CIA, Leon E. Panetta, teria buscado informações a respeito. O agente, que estava no país na última semana para entrevistas com militares e membros dos serviços de inteligência, informou às autoridades paquistanesas a localização de uma fábrica de explosivo e pediu permissão para atacá-la. Porém, ao realizar a operação dias depois, os milicianos haviam desaparecido do local.

registrado em: