Você está aqui: Página Inicial / Política / Os investigadores no banco dos réus

Política

Caso Dantas

Os investigadores no banco dos réus

por Celso Marcondes — publicado 19/10/2008 18h24, última modificação 24/08/2010 18h26
A “Operação Satiagraha” está em julgamento.

A “Operação Satiagraha” está em julgamento. O presidente da Abin, Paulo Lacerda, foi demitido. O delegado Protógenes Queiróz, afastado do caso. O juiz Fausto De Santics é colocado contra a parede. Até na Comissão de Prerrogativas da OAB, o relator legisla a favor do colega para quem advoga. A CPI dos Grampos, capenga. Finalmente ela pôde ouvir o ministro Jobim, que só desconversou.

Daniel Dantas, indiciado por gestão fraudulenta, concessão de empréstimos vedados, evasão de divisas e “lavagem” de dinheiro, agradece. Não se discute mais os escândalos que os “grampos” captaram. Mas o excesso de “grampos”.

Porém, a universidade e parte da sociedade civil não estão alheias ao debate que há algumas semanas mobiliza juristas, políticos, empresários e parte da mídia brasileira. Um ótimo exemplo vem de Campinas, onde o Grupo Democracia e Cidadania, coordenado pelo ouvidor geral do município, José Alberto Curado, realizará o segundo Fórum da Cidadania, com o tema “A velocidade seletiva da justiça: o caso Daniel Dantas”.

O Fórum tem o objetivo de congregar as diferentes entidades, associações e os cidadãos brasileiros para debater temas pertinentes aos direitos do cidadão. Professores da Unicamp, da PUCC e da Facamp, estudiosos de várias áreas formaram o Grupo. Ao final das discussões será elaborada uma “Carta ao Cidadão de Campinas”, com um posicionamento sobre o tema debatido. Ela será entregue aos órgãos de comunicação e às instâncias do poder público.

Nesta sua segunda edição, será discutido o papel da justiça brasileira, reunindo debatedores que estudam o assunto. Algumas questões já foram colocadas para eles: será que a qualidade dos serviços públicos é determinada pelo poder econômico de quem os demanda? O caso Daniel Dantas desmoraliza a justiça brasileira e mostra que suas decisões são decididas pelas leis do mercado?
Você está convidado. Compareça, a entrada é franca.

DIA 24 DE SETEMBRO, QUARTA-FEIRA – 19 HORAS.
AUDITÓRIO DA LIVRARIA CULTURA – SHOPPING IGUATEMI – CAMPINAS

Mesa de Debates:
Wálter Fanganiello Maierovitch – ex-secretário nacional antidrogas da Presidência da República e desembargador do Tribunal da Justiça de São Paulo

Nino de Oliveira Toldo – vice-presidente da Associação dos Juízes Federais (AJUFE)

Janice Agostinho Barreto Ascari – procuradora regional da República

Sérgio Lírio – redator-chefe da CartaCapital